segunda-feira, 30 de março de 2009

Guia de Saúde
da
Água Imantada
Dr. Márcio Bontempo




Guia de Saúde

Da

Água Imantada






Manual prático para a prevenção das doenças e a recuperação da saúde, por meio da ingestão de água exposta a campos magnéticos.



Com orientação alimentar e de suplementos nutricionais.















Costa Sul Magnéticos

Sobre o autor

Dr. Márcio Bontempo é médico, com formação em homeopatia, medicina ortomolecular, nutrição e saúde pública. Publicou até agora 39 importantes obras relacionadas à saúde, sendo um dos responsáveis pela implantação da Medicina Natural científica no Brasil. Respeitado pelos médicos, Dr. Bontempo sempre se dedicou a uma medicina geral mais humana, mais preocupada com o ser humano, menos farmacológica e mais cumpridora do seu dever fundamental, que é restaurar a saúde e não apenas combater os sintomas. Em seu trabalho constante, realizou cerca de 200 cursos intensivos de Medicina Natural, em muitas cidades brasileiras, tendo proferido mais de 500 palestras, além de congressos médicos e simpósios, nacionais e internacionais. Representou o Brasil em diversos eventos médicos e ligados à saúde, nos Estados Unidos, Chile, Equador e na França. Por ter sido discípulo de grandes mestres do mundo da alimentação e saúde, como Georges Ohsawaq, Michio Kushi, Jacques De Langre e outros. Dr. Márcio Bontempo foi convidado para ser membro participante dos encontros internacionais anuais Health Classics, nos Estados Unidos, dos quais participam apenas expoentes mundiais da saúde integral.
Foi consultor técnico científico sobre Medicina Ortomolecular de várias empresas, como: Nature’s Sunshine, SNC, Knoll do Brasil, Nutrilite, Naturalis, Thompson, Country Life, Dermaroma, Nutraceutical, Enrich e outras.
É consultor técnico da VS COSTA SUL há seis anos, tendo representado oficialmente a empresa, inclusive em cursos, eventos congressos, simpósios, etc. Publicou o livro Água e Magnetoterapia, que foi a primeira importante obra médica sobre o tema, utilizada proveitosamente pela empresa ao longo de 4 anos. Os produtos magnéticos ligados à purificação e imantação da água, fabricados e distribuídos pela VS Costa Sul exibem o seu nome, como consultor, representando isso um sinal de garantia de qualidade e de bons efeitos.
Como médico Dr. Márcio Bontempo procura obedecer aos princípios ensinados por Hipócrates, o Pai da Medicina, que tem como lição principal, entre diversas outras, o amor aos seus pacientes.

Experiência clínica

Clínica médica e consultório particular em São Lourenço, Minas Gerais, utilizando a crenoterapia (águas minerais) desde 1982, com participação em diversos congressos, simpósios, conferências e encontros médicos locais, nacionais e internacionais sobre águas medicinais e publicações sobre o tema em 3 livros, jornais, revistas e órgãos afins.

Outras informações sobre o autor

Especialização em Saúde Pública – Curso de Saúde Pública pela Universidade São Camilo – São Paulo Membro da Sociedade Brasileira de Medicina Biomolecular e Radicais Livres.
Fundador e Presidente honorário da Associação Brasileira de Medicina Integral.
Curso de Ciências Sociais pela? Faculdade Paulistana – São Paulo.
Membro da Sociedade Internacional de Médicos Holísticos – Suíça.
Membro da Sociedade Internacional de Médicos Para Prevenção da Guerra Nuclear.
Ex-Assessor do PROCON- Grupo de Defesa ao Consumidor.S.P.
Ex-Asessor da Secretaria Municipal de Saúde do Estado do R..J.
Ex – Membro da Comissão de Saúde da Câmara Federal-DF.
Membro da Academia de Ciências da Califórnia (CSA-L.A.).
Autor do Projeto de Medicina Alternativa Para Comunidades Carentes, Brazlandia, DF.
Criador do Movimento Médicos Pés Descalços – São Lourenço – MG.
Medalha de honra ao mérito, por serviços prestados e contribuições para a melhoria do serviço médico nacional. Governo do D.F. (José Aparecido).
Palestras sobre Medicina Natural na Universidade da Califórnia (UCLA), Los Angeles e São Francisco-EUA.
Membro participante dos encontros internacionais anuais Health Classics, nos Estados Unidos, dos quais participam todos os expoentes do mundo da saúde integral e holística.
Assessor científico durante 4 anos, da empresa norte americana Nature’s Sunshine – Líder mundial na criação e distribuição de suplementos nutricionais.

Obras publicadas

Água e Magnetoterapia – Best Seller
O Livro de Bolso da Medicina Natural – Ground
Estudos Anuais Sobre os Efeitos da Cannabis Sativa – Global
AIDS – Uma abordagem Alternativa – Hemus
Bases Fundamentais do Irisdiagnóstico – Global
A Conduta Aquariana – Global
Recitas Para Ficar Doente – Hemus
Saúde Total Pela Alimentação Macrobiótica – Global
Guia Científico Nature’s Sunshine
Introdução a Macrobiótica e Dieta dos Dez Dias – Ground
Index Global Nature’s Sunshine – Nature’s Sunshine
As Mais Deliciosas Receitas da Culinária Natural
Brasileira – Global
O Livro da Medicina Natural – Nova Cultural
Novas Receitas Para Ficar Doente – Best Seller
O Caduceu de Mercúrio – Best Seller
SPA, Em Casa – Dormitório Público
Dharma Shastra Samhita –Irradiação Cultural
Os Remédios da Harmonia - Irradiação Cultural
Iniciação à Medicina Holística – Record
Suplementos Nutricionais e Produtos Naturais – Best Seller
Emagrecer é Sopa – Best Seller
Relatório Orion – LP&M
Almanaque Pés Descalços – LP&M
Medicina e Alquimia – Editora Gente
O Livro da Grande lei – Madras
Alternativas Atuais Para a Prescrição Médica – Guanabara Koogan

Publicadas nos Estados Unidos:

Health In Balance – Happiness Press
Cooking For Life and Wisdon – Happiness Press
The Book of Dharma – Happiness Press
The Grain of Tao – Stillpoint – no prelo.
Aviso importante

A ingestão de água imantada tem comprovada eficácia e não pode basicamente, em nenhuma hipótese, produzir danos ou efeitos indesejados, podendo ser utilizada por qualquer pessoa, por simples decisão pessoal. Porém ele não substituiu tratamentos médicos. A decisão de usá-la, seja em casos graves ou complexos, seja em substituição a prescrições médicas, ou sem orientação profissional, é desaconselhada, ficando o autor isento de qualquer responsabilidade. No entanto, a indicação de água imantada, bem como as demais indicações deste manual, vêm sendo recomendados por um número crescente de médicos, seja como auxiliar, complementar ou exclusivo, para um número cada vez maior de doenças e problemas de saúde. Em caso de dúvidas, como por exemplo, em situações de doenças graves, agudas, incapacitantes, adiantadas ou terminais, o leitor interessado no tratamento pela água imantada deve procurar orientação médica.





Apresentação

Atualmente a nossa saúde pode ser afetada de diversos modos e por diversas causas. Como sabemos, o meio ambiente alterado é a principal causa das enfermidades. Porém, o mais importante é entender como fatores como alimentação industrializada, o estresse, a poluição, a vida sedentária, causam a maioria das doenças, além de contribuírem para alterações genéticas preocupantes.
Fora alguns raros casos específicos comprovados, os fatores citados não são causas diretas das doenças, mas agentes que agridem, modificam, intoxicam, interferem, desmineralizam, degeneram, etc., terminando por favorecer ou induzir condições anormais que levam ao surgimento de quaisquer enfermidades. Excluindo-se as situações onde a poluição ambiental determina moléstias conhecidas, como bronquite e conjuntivites irritativas, etc, fica difícil estabelecer uma relação clara de causa e efeito entre o câncer de pulmão, por exemplo, e a vida numa cidade de ar poluído, ou talvez uma úlcera gástrica determinada silenciosamente pela contínua perda mineral provocada pelo estresse ou por uma alimentação carente de nutrientes.
Hoje ingerimos também uma enorme quantidade de toxinas e de produtos nocivos para a saúde, como gorduras saturadas, excesso de colesterol, agrotóxicos, metais pesados, aditivos alimentares sintéticos, etc. (incluindo alimentos irradiados e transgênicos, cujos efeitos ainda não estão bem esclarecidos) que interferem na condição sutil do metabolismo. Em outras palavras, o enfraquecimento biológico e energético determinado por uma vida artificial e por hábitos insalubres, principalmente alimentares, é a causa de uma grande quantidade de doenças que acabam por exigir uma atuação contra os sintomas por elas determinados. Assim, diferentemente da medicina do passado e ensinada por Hipócrates (o Pai da Medicina), acostumamo-nos a utilizar apenas drogas para combater os sintomas das doenças, que por sua vez são, via de regra, incapazes de atingir a sua causa real e verdadeira das doenças.
Portanto agir “diretamente” combatendo apenas os sinais e sintomas que surgem, é uma medida cabível, mas apenas situações emergenciais. Para proteger de fato o organismo, evitar as moléstias e restabelecer a saúde, é necessário agir “globalmente”, ou seja, minimizar a ação desequilibrante dos fatores ambientais nocivos. Para isso, deve-se adotar uma alimentação mais natural e balanceada, beber água saudável, praticar esportes ou atividades físicas, procurar habitar regiões menos poluídas, etc., No entanto, hoje em dia não são mais medidas suficientes para se garantir um bom estado geral orgânico, uma boa qualidade de vida biológica, ou principalmente, para se curar uma enfermidade ou problema de saúde. Para isso, precisamos lançar mão de recursos protetores e restauradores da saúde, através de métodos terapêuticos ou preventivos não agressivos, ou auxiliares, como a fitoterapia, os suplementos nutricionais a homeopatia, a acupuntura, a hidroterapia e as águas minerais medicinais.
Existem numerosos métodos terapêuticos que poderiam ser citados, que utilizam essências florais, cristais, argila, etc., no entanto, é preciso estabelecer uma condição de segurança e de garantia na indicação de terapêuticas.
O uso regular de água submetida a campos magnéticos – chamados de água “imantada” ou “magnetizada” – assim como a fitoterapia e o uso suplementos nutricionais, tem efeito cientificamente comprovado, fazendo parte dos recursos capazes de promover a saúde e de prevenir doenças.
A importância da água para a vida

A água é praticamente o elemento de maior importância é desnecessário, principalmente porque ela está presente em todos os organismos vivos, e sem ela não há vida possível. A vida biológica veio dela e não é viável sem ela. No organismo humano ela faz parte de uma infinidade de órgãos e nenhuma função orgânica é possível sem a sua presença.
A água auxilia na diluição e transporte de compostos nos tecidos e no sangue, possibilitando inúmeras reações químicas importantes. Além disso, ela mantém a forma de várias estruturas e entra na constituição de diversos líquidos internos sendo. A sede é um mecanismo utilizado pelo corpo para manter sua constituição de cerca de 70% do organismo, ou seja quase dois terços do seu volume total.
Em um ser humano adulto a água é 85% do sangue, 75% do cérebro, 13% da pele e cerca de 701% dos músculos. Em um recém-nascido 80% do peso é água. Em um idoso, a taxa de água do corpo cai para 50%.
A redução significativa na ingestão de água é prejudicial ao organismo: a digestão torna-se mais demorada, a urina torna-se muito concentrada comprometendo o funcionamento dos rins, o intestino tende a se tornar preso, a circulação é prejudicada devido ao aumento da viscosidade sanguínea e alterações osmolares. A carência mais profunda de água no organismo produz a desidratação, que é a perda de água de forma excessiva, capaz de produzir a morte.
A importância dos mares, rios, lagos, riachos, cachoeiras, fontes, fontes de águas minerais medicinais, poços, lençóis freáticos, etc. são incontestáveis, como fonte de alimentos e de água para a ingestão, dos seres humanos, animais e plantas. Além disso, a água transporta diversos compostos nutritivos dentro do solo, ajuda a controlar a temperatura de nossa atmosfera e apresenta uma série de funções de extremo valor. Do mesmo modo, cumprindo uma função nobre e ao mesmo tempo humilde, a água é o veículo principal para a limpeza dos corpos humanos, dos animais, das casas, das fábricas, das ruas, redundando nos esgotos. Sem esta função da água, a vida seria um verdadeiro inferno de imundícies, doenças e sofrimentos.
Mesmo assim, os seres humanos não respeitam a água e têm sistematicamente poluído as fontes e mananciais de água, os mares, rios, etc.

Água, a forma mais natural de cura.

Hidroterapia é a técnica de uso da água para fins medicinais ou para a restauração da saúde.
A aplicação ou o uso da água para fins medicinais já é conhecida desde a antiga medicina tibetana, passando pela medicina aiurvédica e de Hipócrates e praticamente todos os ramos das doutrinas médicas do passado. Banhos de cachoeira, banhos termais, banhos comuns, vapores, compressas, clisteres, e a própria ingestão da água, eram formas corriqueiras de recursos para aliviar inflamações, febres, dores, contusões, etc. Sempre a água representou uma forma simples, natural, sem custo, que até os dias atuais faz parte, tanto da medicina doméstica como da medicina oficial (fisioterapia), apesar de seu uso ter cedido bastante campo para os medicamentos, ungüentos sintéticos e similares. Hoje, com ascensão da medicina natural e holística, a hidroterapia ressurge fortalecia e cada vez mais valorizada devido aos seus surpreendentes efeitos sobre o organismo.
No Ocidente, já na Roma Antiga, os balneários ou termas (como eram mais conhecidos) ganharam um lugar de destaque na vida e na saúde dos cidadãos. E passaram para a história, não só como ponto turístico, mas como uma espécie de marco histórico relativo À medicina antiga, com grandes monumentos arquitetônicos. O mais famoso foi construído nos arredores de Roma, por Caracala, que governou o império romano entre os anos de 188 e 217d.C.. São as Termas de Caracala, cujas ruínas hoje nos deixam entrever o quanto esse balneário foi importante há quase dois mil anos atrás.
Hoje a água potável disponível está calculada em torno de 0,001% de toda a água do planeta, porcentagem esta que tende a diminuir se não preservarmos o líquido mais precioso para a vida.
Em nome do progresso e do conforto, pouca atenção se dá à importância da água no ciclo vital da vida. Se não houver uma conscientização em termos tanto locais quanto internacionais, a água, em breve, não será mais uma simples questão de necessidade comum, mas de sobrevivência, ou pior. De viabilidade de existência de todos os seres vivos.

O perigo da água de torneira das cidades

A água pura é fundamental para a saúde. E necessário ingerir água sem impurezas e com pouca quantidade de sais. A água saudável deve conservar sua energia natural, o que também significa ser rica em oxigênio livre, à semelhança de uma cachoeira, onde existe agitação e forte atrito entre partículas da água. E isso não acontece com água tratada que sai das torneiras das cidades brasileiras. Salvo raras exceções, ela é de má qualidade, e muitas vezes prejudicial a saúde; casos extremos ocorrem nos grandes centros ou grandes cidades brasileiras.
Nos Estados Unidos e na maioria das cidades européias, pode-se beber com segurança a água que sai das torneiras (conforme podemos ver em alguns filmes, quando a pessoa toma remédios servindo-se de água de uma pia), pois são puras, crescendo apenas de oxigênio livre).
De modo geral, a água de torneira permanece muito tempo em reservatórios dos centros de tratamento, nos edifícios e residências (em caixas de amianto, que não é saudável também), perdendo assim o oxigênio livre natural. E contém ainda, substâncias prejudiciais como o cloro, o sulfato de cobre e o sulfato de alumínio, derivados do tratamento ao qual ela é submetida. Pode também conter inseticida (DDT) e outros produtos químicos, como defensivos oriundos das regiões agrícolas por onde passam os rios, ou apresentar ainda resíduos industriais, chumbo, mercúrio (em áreas de garimpo), adubos químicos, resíduos de precipitações atmosféricas, etc.
Os pequenos riachos contaminados com agentes poluentes, e mesmo os grandes rios deságuam em locais onde pode estar sendo retirada a água que vai servir a uma ou várias cidades. No Brasil, um exemplo que bem ilustra este problema é o caso do rio Paraíba do Sul, que percorre a região mais desenvolvida do país, atravessando mais de 30 importantes cidades do Estados de São Paulo e do Rio de Janeiro, recebendo esgotos domésticos, lixo industrial e doméstico, além de agrotóxicos dos campos de cultivo. O rio fornece água e retira o esgoto das cidades, sobrecarregando-se de resíduos e constituindo-se num dos rios mais poluídos do mundo, onde a sua capacidade de depuração natural é praticamente nula. Há pequenos trechos do referido rio em que não existe vida biológica, devido ao excesso de agentes tóxicos. As estações de tratamento não apresentam condições técnicas suficientes para remover todos os resíduos da água desses rios, também porque concentram mais sua ação em eliminar os germes, precipitar macroelementos e filtrar argila, o que não torna a água exatamente pura como se imagina. Pobre em oxigênio, mas rica em resíduos químicos, essa água, quando ingerida, ou aplicadas às plantas, altera a sutil composição hidroeletrolítica dos humores corpóreos, reduzindo a capacidade funcional do organismo. Carrega-o de elementos tóxicos e diminui o tempo de vida orgânica, expondo o ser humano a inúmeras doenças. No entanto, ainda é difícil o estabelecimento de uma relação de causa e efeito entre algumas enfermidades e a influência crônica de água de má qualidade, pois não existem condições técnicas para avaliar adequadamente a extensão dos problemas orgânicos que a água em tais condições pode provocar. Apesar disso, sua relação com infecções, cálculos renais, câncer e outros estados degenerativos tem sido alvo de observações recentes.
A mesma água presente nos rios poluídos, cobertos por grossas camadas de espuma química, originou-se em fontes puras e cristalinas ou em belas cachoeiras. Os detritos despejados nos riachos, sem cuidado e de forma indiscriminada, acabam por transformar os rios e represas em áreas inundadas e mal cheirosas, matando os peixes pela ação das toxinas e por falta de oxigenação da água.
Segundo a Organização Mundial da Saúde – OMS – aproximadamente um quarto dos leitos existentes em todos os hospitais do mundo estão ocupados por enfermos, cujas doenças são ocasionadas pela água contaminada ou poluída.
Além desses problemas, há ainda a questão da poluição industrial e domésticas dos preços artesianos, poços comuns, fontes e bicas. Concluí-se que a água que consumimos depende de muitos fatores importantes para que possamos facilmente utilizá-la com segurança e pureza.
Além disso, canos metálicos ou comuns, destruídos pela ação do tempo, pela corrosão e ferrugem, oferecem perigos sérios à saúde, como infecções, intoxicações ou até morte. Caixas d’água sujas também são portadoras de doenças. Elas produzem limo, fungos e bactérias, além de serem meio para a proliferação de mosquitos ou com a presença de insetos mortos, ratos, lagartixas, etc. As caixas d’água deveriam ser limpas a cada 3 meses, mas raramente toma-se esse cuidado.
Dentro deste quadro, acredita-se que o filtro de vela, convencional seja útil para purificar a água, o que não acontece. Ele retira apenas macro elementos, limo e sujeiras visíveis, ou seja, ele filtra a parte física da água e não a química e a bacteriológica. Portanto, a água das torneiras está longe de ser segura.
Atualmente existem filtros especiais, tanto domésticos quanto industriais, que eliminam grande parte destes problemas das águas dos reservatórios. Eles são confeccionados com materiais apropriados, incluindo camadas de prata coloidal, carvão mineral e filtros moleculares. Indicamos o filtro imantador, da empresa VS Costa Sul (ver adiante), que apresenta todos estes recursos para a purificação completa da água, além de imantá-la.
Como alternativa, aconselha-se a ingerir água mineral natural de boa procedência, inclusiva para o preparo dos alimentos, sucos, chás, etc.
O que é a água exposta a campo magnético

Para efeitos de simplificação, chama-se a água exposta a um campo magnético de “água imantada”, ou “magnetizada” no entanto, não se deve ter com isso a idéia de que a água, desse modo, adquira as mesmas propriedades magnéticas de um imã. Longe disso, principalmente por não ser um composto diamagnético, ou seja, não se torna magnética, a água sofre sim, uma mudança com a polarização das moléculas de H2O, bem como os sais minerais e elementos nela dissolvidos, tornando essas estruturas mais ordenadas em termos de organização molecular. Fazendo a água passar através de campos magnéticos possantes e alternados, modifica-se ao mesmo tempo o sentido e o deslocamento dos campos magnéticos por adição das cargas elétricas. A água torna-se então imantada e capaz de impedir a formação de micro cristais.

Um pouco de história

O interesse pela aplicação de campos magnéticos em organismo vivo surgiu depois de certos resultados no campo da indústria.
No ínicio do século XX, industrias russa estavam com um problema na tabulação das caldeiras, quando a água que circulava pelos circuitos apresentava uma alta concentração de diferentes tipos de sais que depositavam nas paredes internas dos canos, formando crostas que reduziam o diâmetro dos mesmos comprometendo o seu fluxo. Isso obrigava a desmontagem do equipamento em curtos períodos para se proceder à raspagem e lavagem das paredes internas, o que demandava tempo e equipamentos especiais. Também radiadores de motores a explosão ficavam constantemente entupidos com depósitos de sais. Acidentalmente, a água que fluía por canos foi exposta a um campo magnético, não surgindo incrustação e eliminando aquelas que existiam nas paredes internas tabulares sem a necessidade de raspagem mecânica. O procedimento foi adotado por todas as indústrias envolvidas com o problema, motivando o ínicio de várias experiências para pesquisar o que ocorria com a água quando exposta a campos magnéticos e quais alterações físico-químicas ocorriam. Os resultados provaram que a exposição ou passagem da água por campos magnéticos produziam as seguintes modificações:
Na condutibilidade elétrica
Na densidade
Ionização
Na temperatura
Na tensão Superficial
Na velocidade de sedimentação
Na viscosidade
Em função destes resultados, muitas pesquisas foram desenvolvidas para melhor conhecer o efeito da água ou de campos magnéticos sobre os organismos vivos. Iniciaram-se várias experiências com plantas, insetos, ratos, coelhos, fungos e outros animais para definir os efeitos provocados, concluindo-se que, em geral, surge um incremento significativo na qualidade de vida, concluindo-se o seguinte que todos os organismos vivos são afetados positivamente pelas características da água imantada, em maior ou menor grau. Em geral ocorre um prolongamento na duração de vida animal.
Os resultados revelam também uma tendência á redução temporária do crescimento de células malignas em animais, alívio de vários tipos de doenças, tudo isso sem efeitos indesejados. Depois destas conclusões há algumas décadas, diversos países tem-se dedicado a pesquisar os efeitos da água imantada e de como tornar seu uso acessível à maior parte da população.

Surgimento de aparelhos para a exposição da água a um campo magnético fixo.

Os primeiros aparelhos para exposição da água a campos magnéticos eram extremamente rudimentares e consistiam em se colocar duas garrafas de água potável sobre dois imãs potentes, cada garrafa sobre um pólo diferente; após 12 horas de exposição misturava-se o conteúdo das duas garrafas, obtendo-se assim a água imantada para consumo. Este processo utilizava magnetos inapropriados, pesados, pouco práticos e de custo elevado.
Em função disso, vários países procuraram desenvolver métodos pelos quais a água imantada pudesse ser produzida de maneira simples. Nos Estados Unidos e Japão foram produzidos bastões para serem colocados em corpos por algum tempo, obtendo-se assim a imantação da água contida no recipiente. Na Europa desenvolveu-se uma caneca com tampa com um imã (com o pólo norte na base e o pólo sul na tampa), que imantava a água em uma hora.
No Brasil, o pesquisador e inventor Armando Orsatto desenvolveu um aparelho imantador de água em forma de jarra fechada; no corpo lateral foi colocado internamente e sem contato com o líquido, um cinturão contendo 12 imãs em disposição tal que obtém-se uma leitura central de 3.000 Grauss; o diâmetro da jarra foi calculado de tal maneira que o seu conteúdo adquira características de “água imantada” em duas horas e esteja pronta para o consumo.

As mudanças físicas e químicas da água com a exposição a um campo magnético e os seus efeitos no corpo humano.

Antes de serem submetidos ao campo magnético do aparelho imantador, as moléculas da água apresentam-se desordenadas. Logo após a introdução de água no imantador, ocorre a separação de cargas positivas atraem moléculas de H2O para sua vizinhança. A tendência desses aglomerados é de continuarem atraindo moléculas polares vizinhas.
Água antes da aplicação do campo magnético

Água depois da aplicação do campo magnético

Com isso, a água imantada adquire leve efeito captador (quelante) de toxinas, facilitando sua eliminação e a difusão através da membrana celular. Desse modo, o sistema circulatório é o primeiro a ser beneficiado. Considerando-se que 7,5% da água ingerida vai para o plasma sangüíneo e 20% para a linfa, entende-se porque se obtêm melhoras ao se beber água imantada, diante de situações anômalas como deficiências circulatórias, doenças cardíacas e renais, hipertensão arterial, reumatismo e varizes, pois essas doenças estão diretamente relacionadas com o acúmulo de toxinas nas células e uma maior viscosidade sanguínea. Geralmente qualquer aumento na acidez no sangue produz redução no transporte de oxigênio às células, que acabam por sofrer por falta de energia. Quando a água imantada passar pelos túbulos renais e pelos intestinos, facilita a limpeza dos mesmos, permitindo melhores condições de absorção e de eliminação das toxinas presentes. Com isso o sangue tende a se tornar mais alcalino, conduzindo mais dinamicamente os nutrientes para as células. A função renal melhora, produzindo reflexos benéficos sobre a pressão arterial, tonificando os vasos sanguíneos e fortalecendo o coração.

O mais novo suplemento para o organismo

A água imantada torna-se assim um importante suplemento magnético, e é hoje aplicada e recomendada por cientistas e por grupos de terapia em diversas partes do mundo. Ela vem sendo utilizada só, ou em associação com outros tratamentos, contra psoríasis, enxaquecas, alergias, vários tipos de reumatismo, epilepsias, osteoporose, úlceras e outras.
O uso da água imantada não é ainda um método oficial, uma vez que a medicina convencional não conhece os princípios da magnetoterapia mais, assim como a homeopatia e acunputura, em breve será mais um tratamento a ser incorporado aos sistemas terapêuticos. São diversos os trabalhos científicos confirmando cada vez mais a influência da água imantada na saúde. Desde a antiga União Soviética, os cientistas russos têm aplicado a água imantada em tratamento diversos. Na França o Dr. Louis Donner é hoje um dos pioneiros no estudo e na aplicação clínica da magnetoterapia através da água. O médico francês K.P.V. Menon aplicou regularmente a água imantada e depois de presenciar diversas curas declarou que a água imantada ataca diretamente a raiz da doença, esteja ela onde estiver no corpo do paciente, fato este que eu não sou capaz de explicar. No Brasil destaca-se o Prof. Armando Orsatto, introdutor da água imantada no Brasil. A invenção está registrada junto ao INPI (Instituto Nacional de Propriedade Industrial) no Brasil.

Como age a água imantada no metabolismo no sangue

A ingestão de água exposta a campo magnético melhora a condução do oxigênio no organismo graças ao efeito sobre as moléculas de ferro contidas nos glóbulos vermelhos. Na hemoglobina a molécula de ferro contém quatro átomos de ferro e pode carregar quatro moléculas de oxigênio orgânico. Além do ferro, o cromo e o cobalto são também minerais paramagnéticos que sofrem efeito magnético), o que permite que a água imantada facilite sua absorção e metabolismo. O cromo regula a entrada da glicose na célula e aumenta a ligação da insulina aos receptores, possuindo também a capacidade de reduzir os níveis sanguíneos de colesterol. O cobalto, componente da vitamina B12, também sofre influência positiva da água imantada, pois potencializa a utilização do ferro na síntese da hemoglobina e sua falta produz anemia.
Por isso, a água imantada é indicada para pessoas anêmicas, diabéticas, com o excesso de colesterol (LDL), excesso de ácido úrico, reumáticas, artísticas e com insuficiência cardíaca. A água imantada equilibra a condução elétrica, modulando a ionização do sangue e facilitando a transformação dos aminoácidos, em neurotransmissores cerebrais ou neuromoduladores, que conduzem e regulam a passagem de mensagens químicas entre os neurônios.
O cromo também desempenha papel relevante na síntese de serotonina, um mediador químico cerebral que se apresenta diminuído nos estados depressivos. A água imantada aumenta a absorção de cromo e ativa o seu metabolismo, produzindo melhora no humor em pessoas que sofrem de depressão. Pesquisas diversas realizadas nos Estados Unidos, com pacientes controlados em clínica, mostraram melhora acentuada com o uso de água imantada no estado depressivo, mesmo sem mudança importante na dieta. /quando a água imantada favorece a eliminação de resíduos metabólicos, utilizando o sitema excretor, há aumento da resistência imunológica em função do fortalecimento de defesa – as células brancas – na destruição e eliminação de germes prejudiciais.
Ao melhorar o fluxo de oxigênio nas células, todo o organismo é beneficiado, pois se considerarmos que um homem de setenta quilos tem quarenta litros de água no corpo, podemos perceber que a água imantada, com seu poder de maior cristalização e de condução elétrica, ao passar pelo fígado, rins, pâncreas etc., não apenas elimina todo o lixo metabólico como auxilia o sistema endócrino na produção de hormônios. Ela evita também o excesso de ionização negativa externa devido aos campos eletromagnéticos externos que bombardeiam o homem moderno. Assim, a água imantada pode ser útil em vários problemas orgânicos, como dor de cabeça, cálculos renais prisão de ventre, enxaqueca, insônia, dores articulares, doenças da pele, etc.
Devido à sua capacidade de atingir o centro de todas as funções metabólicas, bioquímicas e funcionais, a água imantada é de grande utilidade no tratamento das perturbações do metabolismo, órgãos formadores de sangue, distúrbios do sistema nervoso e sistema endócrino. Nesses casos exerce uma ação auxiliar valiosa, visto que a sua influência sobre as funções hepáticas, renais e digestiva, proporciona uma ação de equilíbrio e restauração em todos os órgãos ou sistemas.

Os efeitos da água imantada

Diurese

Em geral, a água imantada tem ação diurética e uricêmica (elimina ácido úrico e toxinas similares). Após a ingestão ela é rapidamente absorvida produzindo eliminação via aparelho urinário em pouco tempo e, conseqüentemente, uma real despoluição do organismo. Isto significa que ela ativa o intercâmbio das matérias nitrogenadas, principalmente do ácido úrico. Daí deriva a indicação de água imantada para os casos de sedimentos urinários (areias), cálculos e cristais ou mucosidades das vias urinárias. A água modifica e melhora as condições funcionais do organismo e se usada continuamente poderá evitar a formação de novos cálculos.
Quando um processo terapêutico determina um efeito diurético, sabemos que haverá efeito medicinal sobre diversos órgãos, funções e atividades orgânicas.
Grande parte das doenças metabólicas modernas é provocada pela presença de radicais ácidos (ácido úrico, ácido carbônico, ácido lático e outros) e de toxinas provenientes da alimentação industrializada e da carne animal. O efeito diurético da água imantada remove esses ácidos e nesse material tóxico, o que explica a razão de serem indicadas para tantas doenças. Assim, numerosas enfermidades podem ser tratadas indiretamente, como doenças da pele, distúrbios alérgicos, inflamações, tumores, cistos, doenças nervosas, etc.

Desintoxicação e proteção
do fígado

Ação diurética da água imantada produz desintoxicação, mas este efeito se dá também pela sua ação sobre o fígado. O fígado é o grande laboratório do organismo. As numerosas funções do fígado são estimuladas pela ação dinâmica da água imantada. As insuficiências funcionais da célula do fígado, constituem, indicação básica da água imantada. Nas doenças tóxicas do fígado, seja devido ao alcoolismo ou por outras causas internas, a água imantada é eficaz por proteger esse órgão e promover a descarga do material tóxico de dentro da célula ou do espaço entre elas.
A água imantada atua também nas inflamações da vesícula biliar (colecisties, angiocolites e colangites crônicas), favorecendo ainda a eliminação de cálculos biliares, especialmente aqueles resultantes de acúmulos de bílis ou colesterol. Não havendo obstrução, a água imantada produz melhora nesses casos, desde que se tenha associado uma dieta adequada ao tratamento. Apenas como contra indicações, estão os casos de câncer biliar ou hepático e a tuberculose.

Aparelho digestivo

A água potável comum, ou mineral, é essencial para o bom funcionamento do aparelho digestivo. Para uma boa digestão é necessária uma quantidade adequada e uma concentração ideal de líquido, nem mais nem menos. A saliva compõe-se principalmente de água, muco e da enzima amilase. Todo alimento deve ser misturado com os líquidos do corpo e degradados em partículas minúsculas para que sejam incorporados à corrente sanguínea e linfática. O uso da água imantada, substituindo a comum, é um fator extra de promoção da boa função digestiva. Por exemplo, em casos de gastrite e úlceras, a água imantada atua através do sistema nervoso e das glândulas endócrinas, modulando a condução elétrica e normalizando a secreção gástrica. A produção do suco gástrico é controlada pelos sistemas nervoso e hormonal; ao melhorar a neurotransmissão cerebral, a excessiva produção de suco gástrico que corrói as mucosas do estômago é controlada e, através do sangue, conduz os hormônios; o mecanismo de regulagem de secreção que regula a si mesmo volta a funcionar com a melhor condução de oxigênio promovida pela imantação.
A água imantada têm uma ação direta sobre o estômago, restaurando a sua função, segundo a necessidade, seja estimulando a secreção gástrica e ativam a motricidade, seja inibindo a secreção gástrico e reduzindo o seu movimento. É indicada nas dispepsias e constitui um bom recurso terapêutico, tanto na hipo quanto na hiper acidez gástrica.

Intestinos

Também em muitas doenças intestinais crônicas está indicado o tratamento com água imantada, como nas colites, graças à sua capacidade de restabelecer o equilíbrio entre o funcionamento do estômago, fígado e vias biliares, o que repercute positivamente sobre a função intestinal.
Inúmeras doenças são provocadas pelo mau funcionamento dos intestinos. Cerca de 85% dos alimentos ingeridos são absorvidos no curso de sua passagem através do intestino delgado. A maior parte da água contida no bolo alimentar é absorvida durante o seu trajeto no intestino grosso, fazendo com que o conteúdo intestinal, que é líquido no intestino delgado, se torne gradualmente sólido à medida que vai passando pelo intestino grosso, ou cólon, onde, no lugar de secreção de sucos digestivos, há apenas produção de muco lubrificante. No entanto, bactérias que vivem permanentemente no cólon continuam a atuar. Quando a alimentação contém pouca água, o resíduo fecal permanece por mais tempo no cólon, causando putrefações tóxicas e parte dessas toxinas são absorvidas pela corrente sanguínea em forma de ácidos. A água imantada tende a desprender esse resíduo e o conduzi-lo para fora do intestino, normalizando o trânsito intestinal.
A água imantada pode prender ou soltar os intestinos. Esse efeito depende do tipo e da quantidade de água e sua relação com o tipo de organismo. Embora se espere um efeito laxativo, no ínicio do uso de água imantada, algumas pessoas apresentam prisão de ventre, atribuindo isso ao uso. Para se entender melhor essa questão é necessário ter em mente que a água imantada não é exatamente laxativa de imediato, mais indiretamente corretiva das funções orgânicas. O caso da prisão de ventre ocorre muito mais pela modificação de hábitos, costumes e regime alimentar, sendo uma ocorrência comum nas pessoas que viajam, saindo de suas rotinas e hábitos cotidianos.

Resultados médicos com a aplicação de água imantada

Médicos do Hospital Berozva, de Leningrado, Rússia, ligados ao Serviço experimental de correção individual de saúde (ECKIZ), do Ministério da Saúde da Rússia, comprovaram que pacientes que fizeram uso da água tratada magneticamente obtiveram excelentes resultados nos seguintes casos:

Obesidade: Ação desintoxicante do sangue facilitando a depuração orgânica, reduzindo o acúmulos de resíduos que favorecem a obesidade.

Pressão alta: A água tratada magneticamente tornou o sangue menos viscoso, regularizando-se a pressão arterial.
Baixa irrigação cerebral: A água tratada magneticamente elevou a captação do oxigênio no sistema nervoso.
Fumantes: Ação de oxigenação celular, desintoxicação da nicotina no sangue.
Sistema Imunológico: Aumento da produção das células de defesa (linfócitos) pelo sangue, através da medula óssea.
Além do aumento da resistência orgânica às doenças.
O Dr. Dr. Willian Pawluc, dos Estados Unidos, aplicou a água imantada aos seus pacientes, registrando os seguintes resultados:

· Equilíbrio do pH do suco gástrico.
· Melhora da digestão.
· Melhora nos casos de azia e halitose.
· Maior rapidez na cicatrização de úlceras pépticas.
· Limitação da formação de cristais que geram cálculos renais.
· Melhora na circulação cerebral.

Além disso, verificou:

· Aumento da freqüência cerebral no eletro-encefalograma, com melhor recuperação de doenças psíquicas, psicológicas e no aprendizado, melhoria na inteligência e na falta de memória.
· Nas doenças vasculares cerebrais, verificou aumento da oxigenação celular e retirada dos radicais livres, auxiliando pacientes com o mal de Parkinson.
· Auxílio na recuperação do movimento e do aparelho locomotor, movimento dos pés e das pernas e maior resposta muscular.

Modo de usar a água imantada

Um consumo de 2 à 3 litros de água imantada por dia é a recomendação mais comum como manutenção da saúde. Pode-se cozinhar com água imantada ou preparar chás, o que torna o seu efeito superior. Um chá com água ou um copo de leite “imantado” (colocado no aparelho imantador), tem bom resultado na insônia. É preciso ter cuidado de fazer os chás com água imantada unicamente em uma panela esmaltada.

Tempo de tratamento ou uso da água imantada

O tempo necessário para se obter os efeitos da água imantada é algo muito relativo e depende de muitos fatores. O mais importante é a situação do organismo, o tipo de doença e o tempo em que ela existe. Se dividimos as doenças em dois grupos, as crônicas e as agudas, poderemos ter uma idéia melhor da questão. As primeiras são as moléstias mais antigas, que existem há mais tempo, que podem apresentar um caráter evolutivo ou degenerativo, como o reumatismo, a artrite, a arteriosclerose, a cirrose hepática, etc. (que podem também evoluir para uma condição crônica).
Esta divisão é importante, pois os efeitos da água imantada, assim como o dos medicamentos, será mais evidente nos casos agudos, dependendo-se, obviamente, da gravidade do problema. Neste caso, o período de tratamento tende a ser mais curto. No caso das doenças crônicas, embora seja notória uma redução de sintomas, as vezes imediatamente, exige-se um tempo maior de tratamento ou, na maioria das vezes, que ele seja repetido por períodos, seja bimestralmente, trimestralmente, semestralmente ou anualmente, de modo a se obter os melhores resultados.

Não há contra-indicações da ingestão de água imantada

Mesmo que tratamentos de doenças mais graves com o uso de água imantada devam ser efetuados por médicos, a água submetida a campos magnéticos pode ser utilizada por qualquer pessoa, pois não pode ser prejudicial, salvo em situações muito específicas onde nem a água comum ou mineral em excesso é aconselhada, por exemplo, nas hidropisias, na anasarca, na desidratação aguda, etc.. No entanto, por mais extremas que sejam essas contra-indicações, elas não podem afetar o organismo do mesmo modo que àquelas relativas aos medicamentos. Em geral, de nenhum modo a água imantada pode ser tóxica ou perigosa para a saúde.

Não se recomenda colocar tipo de água nos aparelhos imantadores

É fundamental que a qualidade da água a se imantada seja a melhor possível. Não se aconselha, por exemplo, submeter a água de torneira a um aparelho imantador, mesmo que ela tenha passado por filtros comuns. Isto se explica devido ao fato de que a água de torneira é submetida a um tratamento que, além de eliminar os componentes indesejados, também elimina alguns sais minerais necessários ao organismo dos seres vivos. Embora seja uma água limpa, que pode até ser considerada de boa qualidade, ela será deficiente em termos moleculares e eletrostáticos. Isto pode ser evitado se a água a ser imantada for de boa procedência, mineral, ou então submetida a um filtro eficiente, mas que adicione minerais alcalinos a essa mesma água, como é o caso do aparelho Multiprocessador, citado a seguir.
Medicina ortomolecular, radicais livres e água imantada.

Medicina ortomolecular é um ramo da medicina que utiliza minerais, microminerais (oligoelementos) e vitaminas, em doses que variam de apenas traços infinitesimais, até megadoses. O objetivo é uma reposição de minerais e/ou vitaminas para a recuperação de um organismo carente de nutrientes e micronutrientes, devido à alimentação industrializada empobrecida, ou devido a outros fatores mais complexos.
Sendo uma atividade médica regulamentada no Brasil, com ampla base científica, a meta é introduzir nas células e no meio interno os elementos químicos que porventura estejam faltando e retirar os elementos químicos que porventura estejam faltando e retirar os elementos químicos que porventura estejam faltando e retirar os elementos em excesso, geralmente estranhos ao organismo.
As deficiências de nutrientes essenciais, tão freqüentes hoje, coincide com o alarmante aumento de várias doenças como: hipoglicemia funcional, depressão, astenia, hiperatividade, infecções de repetição, etc, incluindo as doenças degenerativas: aterosclese, câncer e artropatias, as quais não mais estão se limitando à idade.
A indústria alimentícia e as agroindústrias espoliam os alimentos de diversos tipos de nutrientes ao lado de a eles adicionarem metais e substâncias estranhas. A colheita, o armazenamento e o transporte de legumes, verduras e frutas nas condições atuais, a irradiação dos alimentos e a utilização do forno de microondas, reduzem drasticamente a quantidade de vitaminas e sais minerais neles contidos. Por outro lado e agravando a situação, está a pobreza do nosso solo em vários micronutrientes tais como: selênio, cromo, zinco, cobalto, manganês, etc.
Tudo isso vem ocorrendo após a era industrial, onde o organismo vem sendo submetido, às substâncias com as quais, através dos séculos, nunca teve contato, como conservantes, acidulantes, estabilizantes, edulcorantes, antioxidantes sintéticos e, particularmente a diversos tipos de metais, acrescido de má qualidade dos alimentos ingeridos.

O que são radicais livres

Os radicais livres são átomos ou grupos de átomos muito instáveis e reativos que se tornam ávidos de se combinarem com qualquer substância existente nas proximidades, na tentativa de recuperar a sua estabilidade química. Alguns são produzidos por reações indispensáveis tais como as reações metabólicas e enzimáticas, porém quando gerados descontroladamente podem danificar proteínas, lipídeos e ácidos nucléicos, ocasionando uma série de doenças e acelerando o envelhecimento. Os radicais livres são importantes para a realização de diversas reações endógenas, sendo prejudiciais somente quando em excesso.
Alguns fatores contribuem para a elevação do índice de radicais livres no organismo:
· Consumo excessivo de açúcar branco
· Consumo de alimentos embutidos e enlatados
· Radiografias
· Radioterapia
· Exposição aos raios ultravioleta, sem proteção.
· Radiação gama
· Alimentos gordurosos
· Consumo excessivo e constante de bebidas alcoólicas.
· Dietas pobres em proteínas e/ou vitaminas e minerais água tratada, de torneira, rica em compostos químicos tabagismo (fumaça de cigarro, mesmo para quem não fuma)
· Agrotóxicos nos alimentos
· Gorduras saturadas
· Estresse constante
· Poluição atmosférica
· Certas drogas de prescrição, principalmente corticóides e antibióticos.

Para combater os radicais livres no organismo, utilizam-se atualmente os agentes chamados antioxidantes: enzimas especiais, vitaminas, minerais e microminerais (ou oligoelementos). No que se refere aos minerais e microminerais, o tratamento é realizado através de fórmulas que são produzidas em farmácias de manipulação. Eles são ingeridos segundo prescrição médica detalhada.
A imantação da água produz a transferência de elétrons, via pares de radicais, inibindo, dessa forma, a formação de radicais livres. Produz ainda efeitos elétricos ao nível da membrana celular dando maior mobilidade aos íons de sódio e potássio. Causa ainda efeitos sobre os hormônios receptores, ativação dos linfócitos por antígenos e várias lecitinas.
A água imantada, uma vez ingerida, tem efeito diurético e depurativo e mostra certa capacidade de varrer os radicais livres, pois corrige a função das células, protegendo-as da agressão dos mesmos. Mesmo que água imantada não tivesse ação antioxidante, só o fato da mesma produzir efeito diurético já seria útil em qualquer ação anti-radicais livres, quando combinada a agentes antioxidantes, como por exemplo, em tratamento associados.


A importância da alimentação

O aspecto mais marcante da história da alimentação humana é a mudança dos padrões alimentares, com o aparecimento de hábitos prejudiciais, de alimentos industrializados com aditivos alimentares inorgânicos, agrotóxicos, adubos químicos, etc.
Até o início do século 20 existiam, apenas, cerca de oitocentos tipos de alimentos conhecidos, configurando todas as possibilidades de recursos naturais disponíveis no campo da alimentação. Hoje são quase 40 mil produtos, sendo que cerca de 39.200 representam criações sintéticas ou artificiais. Acompanhando de modo paralelo o crescimento do universo da alimentação industrializada está o aparecimento em maior escala das doenças degenerativas (principalmente entre as populações mais abastadas), como resultado da interferência química sintética sobre os seres vivos.
A agitação dos tempos modernos, principalmente nas cidades, trouxe também um novo componente: as refeições rápidas, o fast food, os sanduíches, a comida “a quilo”, e os refrigerantes, o cafezinho, o drink do happy hour, a comida de avião, as miríades de guloseimas industrializadas (balas, chicletes, sorvetes, chocolates, etc.). O processo de decortição ou refinamento dos grãos de cereais fez empobrecer também alimentos importantes como pães e massas, derivados dos milenares cereais, retirando deles a maior parte das vitaminas e fibras (película), dos óleos essenciais ricos em vitaminas e proteínas.
Não fora isso, come-se em excesso e a alimentação disponível apresenta fatores causadores de inúmeras doenças, como o excesso de gorduras saturadas e colesterol, o açúcar branco desmineralizante, os corantes e conservantes, etc. Além disso, os alimentos atualmente apresentam teores de nutrientes inferiores – principalmente de proteínas, vitaminas e sais minerais – o que exige a ingestão constante de mais comida ou de suplementação extra pára suprir as solicitações e exigências do organismo. Com isso a obesidade, ima doença antes rara, cresce assustadoramente no mundo inteiro. Só nos Estados Unidos, considera-se oficialmente que 50% da população tem o seu peso acima dos níveis normais.
Outras doenças cuja incidência cada vez mais elevada têm preocupado a todos são o câncer, as enfermidades cardiovasculares, o diabetes, a osteoporose, as moléstias reumáticas e o acentuado envelhecimento precoce que caracteriza o ser humano moderno.
A importância da boa alimentação como base para uma boa saúde parece ter-se reduzido na medida em que se desenvolveu a concepção quantitativa relativa à nutrição. Mas atualmente está definitivamente estabelecido no mundo científico que uma boa nutrição é importante para a prevenção de doenças.
A dieta deve ser alvo principal de atenção. Freqüentemente observamos que mudanças alimentares qualitativas produzem efeitos imediatos sobre muitas situações anormais nos seres vivos, mas ironicamente, nutrição é comumente a última coisa em que a maioria dos médicos presta atenção.
Um exemplo é o hábito do cafezinho, aceito como normal e permitido para a maioria dos pacientes. Sabemos hoje que a cafeína estimula o lançamento do norepinefrina na corrente sanguínea, o que cria uma pico de energia temporária; mas a cafeína também inibe a habilidade do corpo para absorver vitamina B1, causa perda de magnésio, agita a bainha dos neurônios, enfraquece as glândulas supra-renais e é criadora de habito. Quase nenhuma doença pode ser diretamente relacionada ao hábito do cafezinho, mas isto pode ser a causa central de desequilíbrios bioquímicos e metabólicos que poderão ser a causa de patologias.
Os produtos mais desaconselhados pelos peritos são os açucarados, os gordurosos, os snacks, os queijos amarelos, os refrigerantes, o bacon, as carnes embutidas, as carnes vermelhas, frituras em geral, batatas fritas, cereais adocicados e enlatados diversos.
Um estudo realizado pela Universidade do Arizona, buscando conhecer o resultado do impacto da alimentação dos índios de Pima, uma região do deserto de Sonora, no Arizona, Durante milhares de anos eles se alimentaram do que a terra lhes fornecia, comendo tubérculos, cactos, sementes, feijões e alguma carne de caça e peixe. Até há cerca de 40 anos eles continuavam com esse tipo de dieta e não apresentavam nenhuma doença moderna. Devido a vários motivos, esses índios tiveram a sua alimentação bruscamente substituída pela habitual, incluindo hambúrgueres, refrigerantes, batatas fritas, sorvetes, etc. De acordo com estatísticas disponíveis, mais de 50% desses índios, em idade superior a 35 anos sofrem hoje de diabetes.
Mais modernamente tem-se dado cada vez mais importância à dieta como causa, mas também como meio de tratamento de diversas doenças. Como Hipócrates, que ensinava “fazei do vosso alimento o vosso remédio”, o uso de dietas terapêuticas, embora em voga atualmente, não é nada novo.
De acordo com o Instituto Americano para Pesquisa de Câncer, 40 por cento de todo o câncer nos homens e 60 por cento em mulheres são, de alguma maneira associados em com dieta. Outras doenças diretamente relacionadas com alimentação, segundo o mesmo instituto são os diabetes, as desordens cardiovasculares, o infarto do miocárdio e as doenças de cólon.
A Organização Mundial de Saúde alerta que 85% das doenças degenerativas em geral estão relacionadas com a alimentação. Para ratificar essa percentagem, estudos comparativos ligados à alimentação, mostram que as doenças degenerativas surgiram e cresceram acompanhando as mudanças alimentares, em direção a uma dieta cada vez mais artificial da humanidade.
Juntamente com o crescimento dos índices das doenças crônicas, observamos o consumo cada vez maior de drogas sintomáticas, como analgésicos, antiácidos, antiinflamatórios, antibióticos, anti-reumáticos, corticóides, laxantes, soníferos, antidistônicos, psicotrópicos, drogas psiquiátricas, e outras.
Há estudos apontando que se a nossa dieta sofresse uma redução em 50% de produtos industrializados, açúcar branco e sal refinado, teríamos uma redução no consumo mundial de remédios de 19% nos próximos 2 anos e de 42% nos próximos 10 anos.
A alimentação ideal consiste na escolha adequada dos alimentos. Para a prevenção das doenças, boa absorção dos nutrientes, boa função intestinal e manutenção da saúde aconselha-se a adoção de uma alimentação bem balanceada, variada, rica, nutritiva, vital, fresca e preferencialmente orgânica (sem aditivos e agrotóxicos). Para a prática de uma boa alimentação, é fundamental evitar os alimentos industrializados, o que inclui a carne industrial, os refrigerantes, os produtos coloridos e adocicados, as frituras a salsicharia, o sal refinado e as farinhas brancas.
Aconselha-se o consumo de produtos integrais, mais especificamente de cereais como arroz, trigo, milho e aveia, além de verduras, frutas, legumes, raízes e tubérculos e alimentos ricos em fibras.

Fibras são fundamentais na dieta

Fibras representam a parte menos digerível dos alimentos, sendo mais freqüentes nos cereais integrais, nas verduras, raízes e legumes. As fibras alimentares, em sua maior parte, são compostas de polissacarídeos vegetais comestíveis que participam da formação da estrutura das paredes comestíveis que participam da formação da estrutura das paredes das células vegetais. Há alimentos completamente sem fibras, como é o caso da carne, dos ovos, dos lacticínios.Uma dieta pobre em fibras favorece várias disfunções orgânicas, incluindo a prisão de ventre (intestinos presos), a diverticulite, as colites, a má assimilação dos nutrientes, os gases intestinais, a influência, as fermentações intestinais, maior assimilação de gorduras saturadas. Populações cuja dieta é pobre em fibras apresentam maior incidência de doenças degenerativas incluindo o câncer de cólon.
Em geral, as fibras não são digeridas nem absorvidas no intestino delgado, mas muitas são digeridas no intestino grosso; parte de seus produtos digeridos entram no organismo e contribuem significativamente na redução do colesterol e de gorduras saturadas no organismo.
As fibras podem ser classificadas como solúveis e insolúveis. As fibras insolúveis não se dissolvem na água, enquanto as fibras solúveis formam uma solução altamente viscosa quando dissolvidas na água. As fibras insolúveis são encontradas nos grãos integrais e nos farelos de trigo, centeio, arroz e milho, bem como na celulose. As fibras solúveis são encontradas nas frutas, ervilhas e feijões secos, cevada, aveia, goma (guar, xanthan, alfarroba), mucilagens (psílum) e pectinas. Geralmente, as fibras insolúveis (por exemplo, farelo de trigo) são as melhores para a saúde do intestino (regularidade do intestino etc.) e as fibras solúveis são melhores para diminuir o colesterol e ajudar nos diabetes e na obesidade.
Há categorias de microfibras não digeríveis extraídas do exoesqueleto de crustáceos, uma delas a quitosana, um amino polissacarídeo muito semelhante à celulose (fibra vegetal não digerível). A quitosana tem a propriedade de absorver quantidades maiores de colesterol e gorduras presentes nos intestinos do que muitas fibras vegetais. Ela está sendo cada vez mais utilizada em tratamentos contra a obesidade.
A importância das fibras começou a crescer logo depois que Burkitt, um cirurgião inglês, publicou sua sugestão, em 1996, de que a baixa incidência de câncer de cólon e reto entre os habitantes de partes tropicais da África poderia se dever ao alto consumo de fibras na alimentação desses povos.
Fibras alimentares, principalmente as insolúveis, são altamente recomendadas no tratamento da diverticulose (15 a 30 g. diários de farelo de trigo). Mas o mesmo tratamento não é recomendável para a diverticulite (diverticulose com inflamação), quando se recomenda uma dieta pobre em fibras para aumentar a motilidade intestinal. Mas aumento do consumo de fibras insolúveis na dieta normal ajuda a prevenir o desenvolvimento tanto da diverticulose quanto da diverticulite.
O Instituto Nacional do Câncer dos Estados Unidos recomenda uma dieta rica em fibras e pobre em gordura para ajudar a prevenir alguns tipos de câncer. O aumento do consumo de fibras ajuda o organismo a descarregar substâncias químicas cancerígenas presentes na alimentação. A probabilidade de substâncias químicas cancerígenas agirem é menor quanto menos tempo permanecerem no intestino.
As fibras mais adequadas são aquelas presentes nos cereais integrais, sendo que o trigo, da aveia e do arroz são as mais consumidas. Ao contrário do que se pensa, existem alimentos falsamente ricos em fibras, como é o caso da alface, do tomate e do aipo. Eles possuem alguma fibra, porém bem menos do que legumes e grãos de cereais. As fibras dos cereais não são compostas apenas de celuloses como as dos demais vegetais, mas contêm nutrientes são retiradas dos cereais, restando apenas os grãos ricos em amido, mas destituídos dos seus principais valores nutricionais. Contudo, também não se recomenda o uso em abundância e isoladamente das fibras dos cereais, pois estas devem ser ingeridas juntamente com o grão integral. Com a utilização de muitas fibras isoladas (farelo de trigo, por exemplo), ocorre um seqüestro de alguns minerais, como o zinco e algumas vitaminas em nível intestinal. Quantidades moderadas (aproximadamente duas colheres de sopa) e diárias de farelo de trigo não produzem este efeito de modo considerável.

Alguns alimentos importantes mencionados e indicados

Os seguintes alimentos são indicados adiantes na seção de tratamentos e devem ser considerado como alimentos curativos e preventivos, obedecendo aos preceitos do Pai da Medicina, Hipócrates que ensinava: “Fazei do alimento o vosso remédio”.

Arroz integral

O arroz integral é altamente nutritivo, sendo um dos poucos alimentos que oferece 12 aminoácidos básicos em sua cadeia protéica. Além disso, é rico em carboidratos, vitaminas do complexo B, minerais e gorduras poliinsaturadas. Recentemente, com o advento da medicina ortomolecular, descobriu-se que o arroz integral é um dos alimentos de maior poder antioxidante, sendo potencialmente capaz de reduzir os radicais livres do organismo.

Glúten

Também chamado seitan ou simplesmente”carne vegetal de trigo”. Trata-se de uma matéria viscosa, castanha, que se obtém com a retirada do amido da farinha integral do trigo na água. É uma ótima fonte de proteínas, principalmente da gliadina e da glutínea, que apesar de serem proteínas simples, contêm uma boa carga de aminoácidos. Sendo assim, o glúten é um alimento nutritivo, de grande importância na alimentação natural. Com ele produzem-se bifes vegetais e outros tipos de alimentos que imitem a carne, tanto no aspecto quanto no sabor (que é aproximado). Diversos pratos, como bifes acebolados, sanduíches, strogonoff, assados, churrasco e todos aqueles em que se usa a carne animal podem ser feitos com o glúten. O produto pode ser encontrado pronto para uso nos entrepostos apropriados ou então ser preparado facilmente em casa.

Linhaça

Nome aplicado às sementes do linho. A linhaça tradicional é uma semente marrom escura e luzidia, pequena, pouco maior que o gergelim. Atualmente se cultiva a semente dourada do linho, muito mais rica em Omega 3 e ácidos graxos instaurados. Rica em fibras digeríveis, principalmente a legnina, é útil como o elemento protetor contra o câncer e as doenças femininas em geral. Muito rica em vitaminas minerais e aminoácidos, é hoje um grande recurso nutricional. A semente apresenta também fibras não digeríveis, o que confere ‘a linhaça propriedades ativadoras dos intestinos, sendo muito útil contra a prisão de ventre.

Leite de soja

Trata-se de um alimento forte, com muita concentração de proteínas, vitaminas e sais minerais. O leite de soja possui baixos teores de inibidores da tripsina e de fitatos. No entanto sob orientação médica nutricional para crianças recém-nascidas, idosos avançados e em casos clínicos especiais. Adultos podem ingeri-lo com maior regularidade. Para crianças, aconselha-se o uso alimentar do leite de soja diluído em água. Pode, contudo, ser um produto indigesto para alguns organismos com dificuldade de dissociar as proteínas da soja. De um modo geral é um excelente recurso alimentar, que chega a ser muito prático e permite associações variadas com frutas, mel, castanhas e legumes. Substituem com vantagem o leite de vaca em bolos, tortas e suflês, pavês, empadões, milk shakes, sorvetes naturais, vitaminas, iorgutes, etc.

Leite de caca versus leite de soja

O leite de vaca comum possui cerca de nove vezes mais gorduras saturadas, capaz de contribuir diretamente para as doenças cardíacas e outras. O leite de soja, ao contrário, fornece 10 vezes mais ácidos graxos essenciais, insaturados do que o leite de vaca.
O leite de soja é livre de colesterol, enquanto que o leite de vaca comum contém 34mg de colesterol por xícara, portanto, mais uma vez, capaz de promover doenças circulatórias.
O leite de soja contém pouquíssimo LDL colesterol (o mau colesterol), enquanto que o leite de vaca tem taxas elevadas do mesmo.
O leite de vaca não contém fitoestrógenos capazes de prevenir o câncer e as doenças cardiovasculares, como ocorre com o leite de soja.
Homens que consomem leite de soja diariamente têm 70% menos chance de desenvolver câncer de próstata. O consumo de leite de vaca, ao contrário, é tido como um dos fatores que têm promovido a elevação da incidência da doença no mundo inteiro.
No Brasil existem muitos produtos ‘a base de leite de soja disponíveis, não somente nos entrepostos de produtos naturais, mas nos supermercados, no entanto recomenda-se consumir aqueles produzidos com a soja integral e orgânica, feitos em casa ou artesanais, por serem muito mais saldáveis. Muitos produtos industrializados, feitos com leite de soja, disponíveis no comércio, contém açúcar branco, aromatizantes artificiais, conservantes (nitritos, sulfitos, etc.). o leite de soja e o tofu em casa, segundo a seguinte receita:

Misso

O misso é um importante alimento de uso milenar no Extremo oriente. É preparado com uma mistura bem balanceada de soja, cereais integrais e sal marinho, deixada de fermentar em recipientes de madeira durante um tempo que varia entre um e seis meses.
Os diversos componentes do misso, resultantes do longo processo de fermentação salina, tais como o ácido láctico, o ácido linolênico, a lecitina, a metionina, etc., fazem dele não apenas uma apurada fonte de proteínas e nutrientes, mas um poderoso agente medicinal. Mesmo usado em pequenas quantidades o misso tem ação desintoxicante, depurativa e protetora do organismo. O misso favorece o crescimento de bactérias intestinais amigas que promovem a boa função do ambiente digestivo. O processo de fermentação do misso desativa os inibidores da tripsina e a ação dos fitatos. No preparo dos alimentos, é conveniente não ferver aqueles que contêm misso, pois a fervura pode reduzir eu poder nutritivo e medicinal.

Proteína texturizada de soja

Obtida do grão de soja, após o processo de extração do seu óleo, a proteína de soja ou “carne de soja” como é popularmente conhecida, é constituída em média de 53% de proteína de alto valor biológico. Absorve o sabor dos temperos facilmente, e por ser um produto pré-cozido, necessita apenas ser hidratada em água morna por 5 minutos, dispensando cozimento prolongado. Por ser extremamente versátil na sua aplicação culinária a proteína texturizada da soja pode substituir a carne moída em diversas preparações, como Strogonoff, feijoada vegetariana, hambúrgueres, croquetes, picadinhos, recheios, caçarolas, sopas, refogados, etc.

Tofu, ou queijo de soja.

É preparado a partir do leite de soja talhado, acondicionado em forma especial. Seu sabor aproxima-se mais ao da ricota, mas os menos avisados devem saber que o tofu está longe de ter sabor de queijo; raramente é consumido puro; deve ser temperado e/ou acrescido a outros pratos como refogados, pastéis, empadões, assados, patês vegetais, sopas, etc. O tofu é também concentrado em proteínas, sem a presença de inibidores da tripsina e os fitatos da grão da soja. Na culinária japonesa acrescenta-se habitualmente um tempero feito com um pouco de shoio e gengibre ralado. Usado milenarmente no Oriente, mas já muito difundido no Ocidente, o tofu é uma importante fonte de nutrientes e um bom substituto para a proteína animal. É vendido nos entrepostos naturalistas e nas casas de alimentos japoneses. Há uma variedade sem aditivos, mais recomendada, e uma outra que contém ácido acético, não muito saudável, mas tolerável.

Trigo

Graças à sua riqueza em ácido glutâmico, o trigo é conhecido como o alimento que realça a inteligência, a criatividade e o raciocínio. A grande quantidade de vitaminas, proteínas (perde apenas para o arroz), de óleos essenciais, etc., permite a manutenção da resistência física e da energia corporal. O trigo é também usado em suas partes isoladas, tais como o farelo (fibras da película), a farinha (para o pão, etc.), a sêmola, o gérmen e o glúten (parte protéica separada do amido).

Vantagens nutricionais do pão integral em relação ao pão branco

Calorias.....................................................................................................................0% a mais
Proteínas.................................................................................................................10% a mais
Cálcio......................................................................................................................20% a mais
Ferro.......................................................................................................................30% a mais
Tiamina/ Riboflavina/ Niacina...............................................................................40% a mais

Tabela de combinação bioquímica dos alimentos

A seguinte tabela orienta quanto à seleção e combinação adequada dos diversos tipos de alimentos, quanto a sua natureza e composição bioquímica. Obedecendo a essa tabela, mesmo que aproximadamente, há grande melhora na digestão, menos acúmulo de gorduras desnecessárias, de calorias e redução drástica dos mecanismos formadores de gases intestinais e flatulência. Uma excelente medida para acompanhar os efeitos da água imantada, que tende a produzir efeitos semelhantes no organismo.

Não comer na mesma refeição:

Feijões, arroz, batatas, trigo e derivados, aipim, inhame, cará, aveia, castanha-de-natal (portuguesa), milho e fubá, araruta, centeio, cevada, grão-de-bico, lentilhas, ervilhas secas, feijão-soja e derivados diretos (leite e queijo de soja), trigo sarraceno, tahine, mandioquinha.

Pode-se comer vários por refeição, além de mais um do grupo anterior:

Carnes, frutos do mar, ovos de aves, manteiga de vaca, azeite de oliva, amêndoas, nozes, avelãs, abacate, castanha-de-cajú, alcachofra, cenoura, abóbora, brócolis, chicória, pimentão, cogumelos, misso (pasta de soja fermentada), shoiu (molho de soja), vagem, espinafre, couve, couve-flor, nabo redondo, nabo comprido, nabiça, maxixe, quiabo, repolho, alface, aspargos, agrião, mostarda verde, beterraba, almeirão, abobrinha, acelga, alho, alho-poró, cardo, bertalha, caruru, milho verde, orégano, palmito, feijão verde, pepino com casca, rabanete, salsa, serralha, taioba, tomate cru, aipo, berinjela, cebola, jiló, chuchu, ervilhas frescas, algas marinhas, raiz de lótus, raiz de bardana, maçã, ameixas frescas doces, banana amassada ou cozida, banana seca (passa), uva moscatel, mamão amarelo, caqui, laranja-lima, fruta-do-conde, melão, melancia, jaca madura, pêra d’água, goiaba, figos frescos, tâmaras secas, coco verde, mel de abelha, melado de cana, queijos frescos, requeijão, café, café de cevada.

Para serem comidos sozinhos (não admitem nenhuma combinação, nem entre si):
Laranja ácida, marmelo, damasco, limão (nas saladas não tem importância usar algumas gotas), maçã ácida, nêspera, pitanga, romã, pêra ácida, tamarindo, uva ácida, coalhada, cereja, cidra, carambola, grape-fruit, graviola, jabuticaba, jenipapo, manga, maracujá, abacaxi, ameixa ácida, framboesa.

Não combinam com banana crua:

Abacate, caldo de cana, frutas secas, frutas oleaginosas, manteiga, azeite de oliva, óleos e gorduras em geral, mel de abelhas, melado de cana, açúcar em geral e todos os alimentos do primeiro grupo citado neste estudo.

Não combinam com leite de vaca:

Açúcar, clara de ovo, carne de qualquer espécie, óleos e gorduras, frutas de qualquer tipo (secas, frescas e oleaginosas), azeitonas e todos os alimentos do segundo grupo deste estudo.
Ao observar esta relação e aplicá-la, mantenha um espaço mínimo de três horas entre uma e outra refeição. A gema de ovo crua ou cozida, o coco verde e o lêvedo de cerveja são compatíveis com qualquer alimento.
Um intervalo de três horas entre as refeições é o período considerado ideal para evitar o contato químico entre os alimentos.

Dicas para não engordar:

· Fazer apenas 3 refeições por dia, evitando “beliscar”.
· Não usar líquidos às refeições, somente um pouco após.
· Mastigar bem os alimentos.
· Obedecer à ideal combinação bioquímica dos alimentos, segundo a tabela.
· Não comer após as 20:30, ou só ditar-se no mínimo 2 horas após uma refeição.
· Praticar esportes compatíveis, ginásticas, ou caminhar, segundo orientação profissional.

O poder medicinal dos condimentos

Os temperos à base de ervas são conhecidos há milênios pelos seus efeitos benéficos, tônicos e digestivos no organismo. Basta escolhê-los e acrescentá-los aos pratos e alimentos para obter resultados interessantes na nossa saúde, além da prevenção de doenças variadas. Também uma excelente medida para acompanhar o uso da água imantada, fortalecendo, mais ainda, o organismo e as suas funções.
Veja a seguinte tabela de efeitos dos principais condimentos:
AÇÕES BENÉFICAS
CONDIMENTOS
Antiácida
Algaravia, angélica, anis e coentro
Antidisentérica
Anis, papoula e páprica.
Antiemética
Gengibre
Antiescorbútica
Cebola, raiz-forte, salsa.
Antiespasmódica

Açafrão, alcaparra, aneto, baunilha, coentro, cominho, funcho, hissopo, hortelã-pimenta, manjerona, papoula e tomilho.
Antiinflamatória
Cardamomo, feno-grego, noz-moscada e páprica.
Antioxidante
Aipo e cúrcuma
Anti-séptica
Cebola, cravo-da-índia, pimenta-da-jamaica, urucum e zimbro
Antitumoral
Alho e cebola
Antiulcerogênica
Alho, angélica, canela, cúrcuma, gengibre e hortelã-pimenta.
Antivirótica
Alho e hortelã-pimenta
Aperiente
Açafrão, alcaparra, angélica, cálamo-aromático, canela, estragão, hissopo, louro, manjerona, noz moscada, papoula, páprica, sálvia e segurelha.
Bactericida
Alho, cravo-da-índia e hortelã-pimenta.
Carminativa
Aipo, alcaparra, aneto, angélica, anis, canela, cardamomo, cominho, erva-cidreira, estragão, gengibre, manjericão, noz-moscada, salsa, tomilho e zimbro.
Calagoga
Cúrmura, gengibre e hortelã-pimenta.
Depurativa
Aneto, cebola, cerefólio, coentro e salsa.
Digestiva
Todos
Diurética
Alcaparra, alho-poró, aneto, angélica, cálamo-aromático, canela, cardamomo, cebola, cebolinha, cerefólio, cominho, cravo-da-índia,estragão, fenogrego, hortelã,-pimenta, louro, manjericão, manjerona, mostarda e noz moscada
Estimulante
Aneto, baunilha, cebola, cerefólio, cravo-da-índia, gengibre, hissopo, louro, mostarda, orégano, páprica, poejo e sálvia.
Estomáquica
Aipo, estragão, louro e noz-moscada.
Galactagoga
Aipo, estragão, louro e noz moscada.
Hepato-protetora
Alcaparra, cúrcuma, funcho e gengibre.
Hipoglicêmica
Alho, cebola, estévia, feno-grego, gergelim, pimenta-do-reino e urucum.
Hipotensora
Aipo, alho, canela, cebola, cebolinha, estévia, funcho, salsa e urucum.
Laxativa
Alho-poró, feno-grego, gergelim, raiz-forte e urucum.
Tônica
Aipo, alcaparra, alecrim, baunilha, cálamo-aromático, canela, cardamono, feno-grego, hortelã-pimenta, manjericão e segurelha.
Vermífuga
Alcaparra, cravo-da-índia, estragão, feno-grego, hortelã-pimenta e poejo.



Problemas de saúde suscetíveis à água imantada, sugestões, terapêuticas com ervas medicinais, suplementos nutricionais e indicações alimentares associadas.

Atenção: As indicações que aparecem ao final de cada problema de saúde apresentados a seguir, referidas como “Suplementos que completam bem o uso da água imantada” - onde são apresentadas ervas, vitaminas, minerais, fitoterápicos, etc, - devem ser entendidas como apenas sugestões. Se bem que incapazes de produzir danos ou efeitos indesejados em doses normais, o seu uso deve, em gera, obedecer a orientação profissional, preferencialmente médica, principalmente quanto a posologia, dosagens, tempo de uso, combinações, etc. Na falta de um profissional que domine o assunto, caso se decida usar qualquer dos itens abaixo, entrar em contato com o autor (ver como ao final deste manual) para uma orientação mais segura.

Acne

Resulta da eliminação de toxinas ou gorduras no sangue e que se depositam ou são eliminadas pela pele. Relaciona-se também com certos desequilíbrios hormonais e outras causas.
A água imantada é basicamente desintoxicante e depurativa, reduzindo assim a agressão à pele. Aplicada ao rosto ou à região afetada, as água imantada promove a retirada de material que obstrui os poros e toxinas.

Alimentação

Evitar os alimentos carregados em óleos, gorduras e frituras em geral, carne animal industrializada, carne de porco, ovos de granja e queijos gordurosos. Consumir alimentos frescos, crus, saladas, frutas, cereais integrais, inhame, gengibre, queijo de soja, misso.

Suplementos que completam bem o uso da água imantada:

Sementes douradas de linho (flax)
Vitamina E
Farelo de trigo.

Aftas

Veja estomatite.

AIDS

Sigla da “síndrome da imunodeficiência adquirida” atribuída ao vírus da família do HIV. Considera-se que inúmeros fatores têm um efeito imunodepressor e contribuem para o assentamento do vírus, como o uso habitual de drogas, o estresse, a depressão, a ansiedade constante, o alcoolismo crônico, os desequilíbrios emocionais (neuroses), alimentação de má qualidade (açúcar branco em excesso, toxinas, aditivos.) e aspectos individuais.
É necessário restaurar a capacidade natural do sistema de defesa do organismo.
A água imantada não cura a AIDS, mas influência positivamente o organismo na melhora da capacidade de defesa.

Alimentação

Evitar o açúcar branco, os alimentos industrializados e as carnes vermelhas. Dieta rica em cereais integrais, proteínas vegetais, verduras frescas, raízes tonificantes e frutas, suculentas, ricas em vitaminas e minerais. Usar sucos vegetais preparados com suco de laranja ou de lima-da-pérsia para diluir folhas verdes 9salsa, agrião, dente de leão, almeirão, couve) em liquidificador.

Suplementos que completam bem o uso da água imantada:

Alho – extrato seco
Astrágalo
Lactobacilos acidófilos
Própolis
Unha de gato

Alcoolismo

Considerado pela Organização Mundial de Saúde como a terceira doença que mais mata, depois do câncer e das doenças cardíacas, afetando 8% da população atual do planeta. É o mais grave problema médico-social atual. O alcoolismo seja agudo ou crônico, determina uma grande quantidade de doenças e desequilíbrios; além da conhecida e terminal cirrose, são comuns as úlceras gástricas, as gastrites, o câncer de esôfago, da laringe e de estômago. No sistema nervoso, podem urgir polineurites, atrofias musculares, paralisias musculares, paralisias oftálmicas, epilepsia por lesões cerebrais provocadas pelo álcool e outras, que tendem a se manter mesmo depois da cura do alcoolismo. Entre os alcoólatras das classes pobres, é comum a tuberculose, a degeneração gordurosa do coração, a pericardite, a hipertrofia do coração e a pressão alta, mas muito destes problemas cardíacos ocorrem com freqüentemente entre alcoólatras das classes abastadas. No sistema endócrino, pode haver atrofia testicular, ginecomastia, suspensão das regras, impotência, frigidez, hipotiroidismo e outros.
O uso de água imantada por períodos, tanto na abstinência ou concomitantemente com o consumo de álcool (o que não é recomendado), favorece a restauração das funções orgânicas, melhora a função do fígado, protege as mucosas e desintoxica. As água ricas em lítio são indicadas quando houver depressão e nas síndromes de abstinência.

Alimentação

Evitar o açúcar branco, o café, o chá mate, o chá preto, as carnes vermelhas. Dieta composta de cereais integrais, frutas cozidas, verduras frescas, legumes, raízes e tubérculos. Regularidade no horário das refeições e boa mastigação. Alimentos especiais: alcachofra, alface, jiló, maxixe, espinafre.

Suplementos que completam bem o uso da água imantada:

Biotina
Colina
Inositol
Omega 3
Vita\mina C c\ Bioflavonóides

Alergias

São reações exageradas de um organismo muito sensível e certos elementos do ambiente. O mais comum é a alergia ao pó, ao mofo e a muitos fungos, a perfumes, a muitos alimentos (leite de vaca, frutos do mar, etc.) a medicamentos, e outros, dependendo do índividuo. O fator climático e a pressão atmosférica são importantes. As manifestações podem ser variadas como reações de pele (dermatoses alérgicas), as urticárias, a rinite, a coriza, a bronquite, assim como diarréias, corrimentos vaginais e outros. As reações mais intensas podem provocar até o choque anafilático.
Períodos de uso de água imantada podem ajudar a melhorar as funções orgânicas e equilibrar o sistema imunológico. Evitar aplicar na pele ou fazer banhos, sem orientação médica.

Alimentação

Evitar os laticínios em geral, o açúcar branco, as carnes condicionais ou industrializadas, os aditivos alimentares, os ovos de granja, as vísceras animais, as peles de animais, o sal refinado e os temperos industrializados.

Suplementos que completam bem o uso da água imantada:

Alho (cápsulas)
Astrágalo
Equinácea
Geléia real
Pólen de flores
Própolis
Tanaceto
Unha de gato

Anemia

Há vários tipos. A mais comum é proveniente da redução da quantidade de ferro no sangue, ou da quantidade de células vermelhas, como resultado de perdas sanguíneas (hemorragias internas ou externas, excesso de menstruação, vermes intestinais que absorvem sangue do aparelho digestivo, úlceras gastroduodenais, etc), pela carência de ferro na dieta. Existem anemias resultantes de alterações da forma das células vermelhas, da carência de vitamina B12, da deficiência de ácido fólico e devido a outras causas menos comuns. Há uma anemia muito comum, própria do final da gravidez, a anemia por hemodiluição, quando as células vermelhas se acham em meio a uma maior quantidade de água no sangue global. A anemia aguda é uma situação emergencial, provocada pela perda maciça de sangue devido a uma hemorragia.
O uso de água imantada produz efeito de reposição, quando a anemia se dá por carência mineral específica ou inespecífica. Convém, contudo, conhecer as causas da anemia e outros fatores correlatos, como a presença de parasitas intestinais, causas hemorrágicas, causas ginecológicas (metrorragia, menorragia, etc.) e doenças debilitantes.

Alimentação

Dieta rica em proteínas vegetais, vitaminas e minerais. Usar sucos vegetais preparados com suco de laranja para diluir folhas de salsa, de agrião de dente-de-leão, de almeirão, couve, etc, preparados sem liquidificador; tomar 2 a 3 copos grandes por dia, tofu, seitan (carne de glúten), raiz de bardana, misso, algas marinhas e o tahine são recomendados como fontes de nutrientes de alto valor reconstituinte. A alcachofra, o abacate e a aveia integral são indicados. A aveia é rica em manganês, um micromineral que se transmuta em ferro no organismo. A carne vermelha não é mais tão indicada, por ser pobre em ferro primário e em ácido fólico.
Usar sementes de linhaça – 60g. 1 a 2 vezes ao dia

Angina pectoris

É o nome técnico da dor leve, moderada ou forte na área do peito, provocada por redução relativa da circulação sanguínea no músculo cardíaco, seja por obstrução parcial das artérias coronarianas ou por espasmos nervosos das mesmas. Pode ser prenúncio do infarto cardíaco. As causas são variadas e dependem da predisposição: alimentação rica em colesterol, triglicérides e gorduras saturadas, sal refinado, açúcar branco, bebidas alcoólicas, tabagismo, estresse, a vida sedentária e outros.
A água imantada, ingerida regularmente, atua indiretamente, ajudando a desintoxicar o organismo, a reduzir as taxas elevadas de colesterol e triglicérides, reduzindo assim a viscosidade e a densidade sanguíneas (sem expor o organismo a hemorragias), melhorando a oxigenação dos tecidos e reduzindo o risco dos ataques cardíacos.
Em casos de hipertensão arterial associada, aconselha-se proceder aos banhos carbo-gasosos, segundo orientação médica, concomitantemente à ingestão das águas indicadas a seguir:

Alimentação

Dieta pobre em gorduras animais, frituras, açúcar branco, alimentos industrializados e carnes vermelhas; rica em verduras, legumes, frutas e cereais integrais. Dietas vegetarianas têm ação preventiva.
Alimentos especialmente úteis: alface, bertalha, espinafre, urucum (como tempero), pimentas leves.

Suplementos que completam bem o uso da água imantada:

Crataegus
Ginkgo biloba
Niacina
Omega 3
Vitamina C com Bioflavonóides
Vitamina E

Arteriosclerose

Processo degenerativo caracterizado pelo endurecimento (esclerose) das pequenas artérias da circulação capilar, ocorrendo mais freqüentemente no cérebro e nas artérias coronárias (coração); embora possa ocorrer em outros órgãos, como rins, coração. É determinada pela deposição constante e contínua dentro das artérias de material composto por colesterol, triglicérides, cálcio e sódio, isolados ou em conjunto, produzindo defeitos progressivos na irrigação sanguínea, reduzindo a oxigenação das células. Se no cérebro, inicialmente, pode haver progressiva alteração da memória recente, irritabilidade, apatia, desinteresse, desmotivação, e emotividade fácil; nos casos mais adiantados, há degradação intensa da memória, distúrbios emocionais, manias, depressão, não reconhecimento das pessoas, confusão mental, repetição das palavras ou mutismo, falta progressiva de controle da emissão das fezes e/ou urina, etc. Se cardíaca, pode surgir angina pectoris progressiva ou infarto. As causas são variadas e estão ligadas aos hábitos de vida e à hereditariedade. A incidência mundial de arteriosclerose tem aumentado nas últimas décadas. A evolução é silenciosa e contínua, se preservadas as causas ambientais que desencadeiam o processo em indivíduos suscetíveis ou predispostos. O alcoolismo, o tabagismo, a poluição ambiental, a alimentação rica em gorduras saturadas e industrializadas, o estresse moderno e as tensões emocionais são fatores a serem evitados.
Não sendo exatamente uma doença, mas um processo degenerativo, não é possível de cura, mas de melhora. Através do uso das águas medicinais, pode-se interromper o processo, melhorando as condições clínicas gerais, devido à desintoxicação, depuração, normalização das funções orgânicas, redução da presença de metais pesados, correção metabólica, redução da viscosidade sanguínea, melhor oxigenação e incremento da circulação.
Em casos de hipertensão arterial associada, aconselha-se proceder a saunas, duchas, banhos carbo-gasosos, segundo orientação médica, concomitantemente à ingestão da água imantada.

Alimentação

Evitar as gorduras animais saturadas (carnes gordas, gemas de ovos, laticínios em geral, manteiga, salsichas, presunto, lingüiças, frituras em geral, margarina), açúcar branco, sal refinado, etc. Dieta rica em cereais integrais, frutas, verduras, legumes, tubérculos, leguminosas e raízes, com o mínimo de produtos animais.
Alimentos especiais: alcachofra, alface. Sementes de linhaça.

Suplementos que completam bem o uso da água imantada:

Crataegus
Ginkgo biloba
Niacina
Omega 3
Vitamina C com Bioflavonóides
Vitamina E

Artrite

É uma doença do grupo das moléstias reumáticas. Caracteriza-se por dor, intumescimento, inflamação, nodosidade e deformação contínua das articulações, principalmente das extremidades. Trata-ser de um problema crônico, com episódios agudos que podem desaparecer espontaneamente. Depende da predisposição herdada e é agravada por fatores ambientais desencadeantes, principalmente por alimentos acidificantes, tóxicos e mucogênicos. Não se sabe oficialmente a causa da artrite, atribuindo –se o problema a causas hereditárias combinadas com fatores metabólicos e bioquímicos ainda não completamente identificados.
O uso de água imantada produz alcalinização do organismo, reduzindo os radicais ácidos (ácido úrico, ácido lático, ácido carbônico e outros), envolvidos na gênese ou na piora dos quadros artríticos. Pela ação depurativa, desintoxicante, antiinflamatória e reguladora, as águas medicinais indicadas tendem a produzir efeitos em médio e longo prazo, embora resultados imediatos (com 2 ou 3 dias de tratamento) com redução ou remissão dos sintomas agudos tenham sido observados com freqüência.

Alimentação

Evitar os alimentos acidificantes (laticínios, açúcar branco, carnes vermelhas, vísceras animais, etc.) e ricos em ácido úrico (vísceras, leguminosas tipo feijões e outros) e os laticínios, por serem reumatogênicos. Dieta equilibrada, composta de cereais integrais, frutas alcalinas, verduras, raízes, tubérculos e legumes. Alimentos favoráveis são: inhame, mamão, gergelim, misso, queijo de soja, cará, gengibre, cebola crua, rabanetes frescos.

Suplementos que completam bem o uso da água imantada:

Garra do diabo
Lactobacilos acidófilos
Óleo de prímula
Omega 3
Salsaparrilha
Vitamina C com bioflavonóides.
Vitamina E

Artrite reumatóide

Sempre classificada como pertencente ao grupo das doenças reumáticas, hoje a medicina oficial tende a considerá-la mais como uma alteração auto-imune, ou de auto-agressão. Devido às suas características clínicas, a medicina holística a considera um processo misto, mas dentro do grupo das moléstias reumáticas. É um processo crônico, com fases agudas, que ataca principalmente as grandes articulações, com muita dor na fase aguda e com deformidades crescentes devido a alterações ósseas e articulares.
O uso de água imantada produz alcalinização do organismo, reduzindo os radicais ácidos (ácido úrico, ácido lático, ácido carbônico e outros), envolvidos na gênese ou na piora dos quadros inflamatório da artrite reumatóide. Pela ação depurativa, desintoxicante, antiinflamatória e reguladora, as águas medicinais indicadas podem ser extremamente úteis como tratamento auxiliar Ao aloplático, homeopático, ortomolecular ou outros.

Alimentação

O açúcar branco (e todos os seus derivados) é altamente prejudicial para estes casos. O leite e seus derivados, as carnes animais em geral, as vísceras, as peles das aves e dos peixes, também devem ser evitados; as leguminosas, ou feijões devem ser usados com muita moderação. Dieta equilibrada, composta de cereais integrais, frutas alcalinas, verduras, raízes, tubérculos e legumes. Alimentos recomendados são o inhame, o mamão, o gergelim, o misso, o queijo de soja, o cará, o gengibre e a cebola crua (ou sem sumo).
Usar sementes de linhaça – 60g. 1 a 2 vezes ao dia.

Suplementos que completam bem o uso da água imantada:

Garra do diabo
Lactobacilos acidófilos
Óleo de prímula
Omega 3
Salsaparrilha
Unha de gato
Vitamina C com bioflavonóides.
Vitamina E

Artrose

Doença crônica, pertencente ao grupo das doenças reumáticas. É caracterizada por inflamações, endurecimento progressivo, dor e tendência à perda da função de uma ou de várias articulações. É um tipo “envelhecimento” articular. Há dificuldade de mover a articulação pela manhã, melhorando um pouco ou bastante ao longo do dia. Pode chegar à atrofia articular e muscular. As causas são variadas, ligadas à predisposição hereditária, ao sistema nervoso e a vários alimentos.
O efeito benéfico da água imantada nas artroses deve-se ao fato de que elas produzem alcalinização do organismo, reduzindo os radicais ácidos (ácido úrico, ácido lático, ácido carbônico e outros), envolvidos na gênese ou na piora dos quadros artríticos. Pela ação depurativa, desintoxicante, antiinflamatória e reguladora, as águas medicinais indicadas tendem a produzir efeitos em médio e longo prazo, com a possibilidade de redução dos sintomas mesmo no inicío do tratamento.

Alimentação

Evitar os produtos ricos em toxinas e proteínas animais industrializadas (salsicharia, frios, presunto, etc.), as vísceras e as peles animais, o leite e seus derivados, o excesso de sal refinado, o álcool, o tabaco, a vida sedentária e os excessos de todos os tipos. Adotara uma dieta equilibrada, composta de cereais integrais, frutas alcalinas, verduras, raízes, tubérculos e legumes. As leguminosas, ou feijões devem ser usadas com muita moderação. Usar com mais freqüência: inhame, mamão, gergelim, misso, queijo de soja, cará, gengibre e cebola crua.

Suplementos que completam bem o uso da água imantada:

Clorela
Condroitina
Garra do diabo
Lactobacilos acidófilos
Óleo de prímula
Omega 3
Vitamina C com bioflavonóides.
Vitamina E

Aterosclerose

O mesmo que para Arteriosclerose.

Azia

Ver em gastrite.

Bursite

Inflamação aguda ou crônica da bolsa serosa de uma articulação, mais comumente do ombro ou do joelho, com dor, calor, limitação dos movimentos. Pertence ao grupo do reumatismo.
A água imantada produz alcalinização do organismo, reduzindo os radicais ácidos (ácido úrico, ácido lático, ácido carbônico e outros), envolvidos na gênese ou na piora dos quadros inflamatórios das bursites. Pela ação depurativa, desintoxicante, antiinflamatória e reguladora, a águas imantadas tende a produzir efeitos imediatos, em médio e em longo prazo.

Alimentação

Tanto nas crises como fora delas, como preventivo, evitar os produtos de origem animal em geral, inclusive ovos e laticínios, o açúcar e seus derivados e o sal refinado. Consumir frutas e líquidos em abundancia, principalmente saladas cruas.

Suplementos que completam bem o uso da água imantada:

Clorela
Condroitina
Garra do diabo
Lactobacilos acidófilos
Óleo de prímula
Omega 3
Vitamina C com bioflavonóides.
Vitamina E

Cálculos biliares

Resultam do acúmulo de compostos minerais orgânicos ou metabólicos nos espaços internos da vesícula biliar ou nos canais biliares (oxalato de cálcio, e fosfatos, ácido úrico, bilirrubina e outros mais raros), tendem a se atrair e a formar concreções que, se ficarem retidas, acabam por impedir a função do órgão. As causas estão ligadas a condições individuais e hereditárias. A obesidade, a vida sedentária e uma dieta rica em alimentos gordurosos contribuem muito. Podem produzir dores leves, moderadas ou, mais freqüentemente, intensas e insuportáveis. Um acompanhamento médico é sempre necessário.
Devido aos efeitos diuréticos da água imantada, ocorre diluição do sangue e redução da osmolaridade da bile, favorecendo o desgaste de eventuais cálculos retidos no sistema biliar excretor.
Alimentação

Evitar alimentos ricos em cálcio, em gorduras saturadas, em ácido úrico e acidificantes (laticínios, carnes vermelhas, vísceras animais, peles, carnes embutidas, frituras, e outros). Dieta rica em polpas de frutas, moderada em termos de cereais integrais e muitos tubérculos do tipo do inhame e do cará. Os derivados da soja (tofu, leite de soja, carne de soja, etc.) devem ser evitados temporariamente também. Para pessoas predispostas, recomenda-se o uso eventual de quantidades moderadas de alecrim como tempero, como preventivo.

Suplementos que completam bem o uso da água imantada:

Angélica
Betaína
Cardo mariano
Dente-de-leão
Gienciana
Omega 3
Sementes (douradas) de linho.

Cálculos renais

Resultam do acúmulo de compostos minerais orgânicos ou metabólicos nos espaços internos aos rins ou nos ureteres. Por razões ainda desconhecidas da medicina analítica, cristais à base de compostos de cálcio (tipo oxalato, por exemplo), de fosfatos, de ácido úrico e outros, tendem a se atrair e a formar concreções que, se ficarem retidas, acabam por impedir a função do órgão. O problema está ligado a certas condições individuais e hereditárias. O cálculo verdadeiro produz dores intensas e insuportáveis. Um acompanhamento médico é sempre recomendável.
Talvez a maior indicação da água imantada seja no tratamento da litíase (calculose) renal. Devido aos efeitos diuréticos da água imantada, ocorre maior eliminação de sedimentos e de material mineral, de elementos ácidos ou à base de uratos ou colesterol. Além disso, a diluição do sangue e a redução da osmolaridade da urina, há desgastes de eventuais cálculos retidos no sistema urinário excretor. Em casos mais exuberantes ou na persistência de dores e redução da eliminação da urina, é necessário procurar atendimento médico.
Não é rara a ocorrência de elevação da eliminação de cristais de oxalato de cálcio pela urina durante o uso em maior abundância de água imantada, principalmente associadas a dietas desintoxicantes; raramente, contudo, esses cristais aglomeram-se para a formação de cálculos, uma vez que o sangue se acha mais alcalino e mais fluídico, permitindo que a urina apresente uma condensação menor. Portanto, a água imantada está indicada, sem problemas, no combate e na prevenção dos cálculos renais. Há, porém aquelas mais específicas, como a seguinte:
Alimentação
Sabe-se hoje que o leito e seus derivados apresentam quantidades exageradas de vários minerais e desbalanceados e inadequados para o organismo humano; o excesso de cálcio e as taxas altas de colesterol e triglicérides dos laticínios, por exemplo, favorecem o surgimento de cálculos renais e biliares. Além da restrição aos alimentos ricos em cálcio, deve-se restringir também os acidificantes e produtores de ácido úrico, tais como as vísceras animais, as peles, as carnes vermelhas em geral, as carnes embutidas, as gorduras saturadas, as frituras e o açúcar branco em geral. Dieta rica em polpa de frutas, moderada em termos de cereais integrais e muitos tubérculos do tipo do inhame e do cará. Os derivados da soja (tofu, leite de soja, carne de soja, etc.) devem ser evitados temporariamente também. As verduras devem ser usadas com moderação e apenas eventualmente enquanto durar o problema. Ingerir líquidos numa quantidade apenas um pouco acima do habitual, sem a necessidade de forçar o organismo. Uma dieta natural, sem excessos e composta de alimentos integrais é a melhor forma de evitar os cálculos, de qualquer composição. Alimentos e temperos de efeito benéfico para estes casos: açafrão, alecrim e alho. Outras Indicações: Sumo de lima-da-pérsia em jejum.

Suplementos que completam bem o uso da água imantada:

Bucho
Dente de leão
Ginseng siberiano
Lúpulo
Mirtilo

Câncer

Doença degenerativa caracterizada pela formação de uma tumoração invasiva e destrutiva, devido ao crescimento desordenado das células que o constituem. A medicina oficial não conhece ainda o processo mórbido que gera a moléstia, embora já selecione inúmeros agentes desencadeantes, como certos vírus, produtos sintéticos, aditivos alimentares, agrotóxicos, certos tipos de radiação, aditivos alimentares, agrotóxicos, remédios, alimentos, etc. Muitos estudos científicos recentes mostram que vários produtos alimentícios industrializados são capazes de provocar câncer em cobaias e em seres humanos: a sacarina, os ciclamatos (presentes em praticamente todos os produtos dietéticos), o dietiletilbestrol (hormônio sintético feminino aplicado ao gado bovino para produzir mais peso; também presente na carne das aves e nos ovos de granja), o sulfito de sódio (usado para colorir as carnes de açougue e as carnes industrializadas: salsichas, presuntos, lingüiças, salames, mortadelas, e outros), o nitrato de potássio (ou salitre, aplicado às carnes para maior conservação), os óleos industriais (presentes em biscoitos, nos “chips”, nas batatas fritas em pacotes, etc.), O benzopireno (um dos maiores cancerígenos ambientais, presentes nas gorduras escuras das frituras, na carne dos hambúrgueres industrializados, etc.) e outros. Toda formação tumoral seja maligna (câncer) ou benigna é a expressão de um desequilíbrio metabólico, orgânico, funcional, energético e bioenergético profundo e de um colapso da capacidade do organismo (ou do indivíduo) de gerenciar a si próprio. As novas correntes de pensamento têm demonstrado que os tumores são produzidos e surgem devido a múltiplas causas associadas, e não como resultado de uma só. Agentes ambientais capazes de provocar o câncer (em organismos suscetíveis) são o alcatrão e outros componentes do tabaco, as partículas poluentes em suspensão no ar das grandes cidades (emissão dos escapamentos dos automóveis e das fábricas), as partículas de amianto nos pulmões, a exposição excessiva à radiação e ao raios-X, o raio ultra violeta sobre a pele e outros.
Indicação e contra indicação da água imantada no câncer.
Existe grande controvérsia entre os autores e estudiosos quanto a indicar-se ou não a crenoterapia para o tratamento do câncer. As escolas de tendência ou características alopáticas afirmam que a radioatividade das águas pode acelerar ou incrementar o crescimento dos tecidos tumorais, ou a sua riqueza mineral pode favorecer também as células anômalas. As correntes de visão mais holística, contudo, indicam as águas que não possuem radiatividade tão intensa como as do circuito das águas, bem inferiores a outras, de outros países ou regiões) e as prescrevem visando a desintoxicação, a varredura de radicais livres (principais causas do câncer), a limpeza de resíduos agressivos, a depuração de metais pesados e outros tóxicos. Esta abordagem entende que o câncer é um processo degenerativo global e que a crenoterapia age melhorando as funções gerais. Como a visão acadêmica cartesiana ainda não está consciente desse aspecto da vida e observa os processos degenerativos apenas em seus aspectos isolados, desaconselha o uso de água imantada para o câncer. Mesmo havendo pesquisas aceitáveis que promovem a hipótese. Ao contrário, a experiência de muitos médicos especialistas aponta bons resultados. Obviamente que não se espera a cura da doença por meio da água imantada, mas podemos contar com elas como valioso auxiliar na restauração do auto comando do organismo, mesmo associada a quimioterapia, à homeopatia, à medicina ortomolecular e outras.
A água de torneira comum, principalmente nos grandes centros, apresenta, esta sim, cerca de dez agentes potencialmente cancerígenos (cloro, falta de oxigênio, partículas de amianto, agrotóxicos, metais pesados, sulfatos, etc,), sem que isso receba a atenção dos médicos comuns, menos informados. Comparada à água comum – que não possui nenhuma capacidade terapêutica, ao contrário, é patogênica – a água imantada não pode ser considerada capaz de acelerar tumores malignos.

Alimentação

Estatísticas oficiais mostram que populações que consomem pouca ou nenhuma carne animal apresentam incidência quase nula quanto ao câncer. Tanto como prevenção, quanto como tratamento, aconselha-se a adoção de uma dieta completamente livre desses alimentos, bem como de todo alimento industrializado, aditivos alimentares (conservantes, corantes artificiais, etc.) optando pelos alimentos naturais, os cereais integrais, as frutas de estação, os legumes, as verduras, as raízes e os tubérculos em geral. Produtos alimentícios especiais devido à sua ação anticancerígena e inibidora dos tumores são o queijo de soja (tofu), o misso, o inhame, o arroz integral, o gengibre, a carne de glúten integral, as verduras e as frutas menos ácidas, os produtos ricos em caroteno e vitamina A, principalmente a beterraba, o azeite de dendê, a cenoura crua, que devem ser usados com regularidade, inclusive como preventivos.
Usar sementes de linhaça – 60g. 1 a 2 vezes ao dia.

Suplementos que completam bem o uso da água imantada:

Alho-extrato seco
Babosa
Bioflavonóides
Clorela
Cogumelo Reishi
Pau d’arco
Sementes (douradas) de linho
Unha de gato
Vitamina C
Vitamina E

Cárie dentária

Processo de deterioração dos dentes, com a formação característica de cavidades. A ingestão do açúcar e seus derivados (doces em geral, sorvetes, refrigerantes, chocolates, bolos, etc.) favorecem grandemente as cáries através de duas vias: se os dentes não são escovados logo após a ingestão de produtos doces, a condensação do açúcar no sulco gengival e em outras regiões forma meios de cultura para o crescimento de bactérias, que acabam por formar placas que agridem áreas enfraquecidas dos dentes e deve-se à ação descalcificante e desmineralizante do açúcar no sangue, o que torna os dentes mais fracos e sujeitos à ação das bactérias cariogênicas.

Alimentação

A dieta preventiva deve ser livre de açúcar branco, seus derivados e qualquer outro adoçante muito concentrado (frutose, dextrose, etc.) e não apenas preceder à escovação após a ingestão de açúcar ou similares.

Cirrose

Ver em Hepatite.

Cistite

É um processo inflamatório das vias urinárias baixas, a bexiga e a uretra. O termo serve na medicina para designar apenas a inflamação da bexiga, mas popularmente é utilizado para os casos de ardência no canal da uretra à micção (uretrite). O problema pode ser agudo ou crônico, com fases de recorrência; pode ser provocado por diversas causas, como cálculos na bexiga, infecções urinárias, doenças venéreas variadas, traumatismos de vários tipos (inclusive, na mulher, devido a relações sexuais constantes ou traumáticas), friagem nos pés, friagem no abdômen e outras.
Por ser diurética e antiinflamatórias, a água imantada é útil como auxiliar.

Alimentação

Dieta leve, sem alimentos de origem animal de nenhum tipo (mesmo leite, queijos, ovos, etc.) por alguns dias. Evitar as frutas cítricas ou muito ácidas, o açúcar branco e seus derivados, o tomate, a batata inglesa e as frituras em geral. Utilizar bastante inhame, gengibre, salsinha, arroz integral, gersal, lima-da-pérsia e o jiló, devido às suas propriedades curativas para o aparelho urinário.

Suplementos que completam bem o uso da água imantada:

Bucho
Chapéu de couro
Quebra pedra
Salsaparrilha
Uva ursina

Colesterol, excesso de.

O colesterol é uma gordura necessária ao organismo. Quando os seus níveis se tornam elevados surgem às doenças cardiovasculares ligadas ao excesso de colesterol e de triglicérides na circulação sanguínea; embora indispensáveis para o organismo, quando em excesso eles tornam o sangue denso e contribuem para a formação das placas ateromatosas que tendem a se fixar dentro das artérias. Além da angina, do infarto, da arteriosclerose, da aterosclerose, o excesso de colesterol favorece também a formação de cálculos renais e biliares à base desse mesmo material. É importante saber que a elevação dos níveis de colesterol e de triglicérides está diretamente ligada à ingestão de alimentos ricos nesses compostos, entre eles as vísceras animais, a carne vermelha, ovos, laticínios comuns e frutos do mar.
A água imantada tem efeito depurativo, desintoxicante e eliminador de excessos de gorduras saturadas e do colesterol com seus derivados.

Alimentação

Dieta pobre em colesterol e em ácidos graxos saturados, composta de alimentos desintoxicantes (arroz integral, verduras, misso, inhame, nabo comprido, frutas cítricas e outros). No ínicio esta dieta pode produzir níveis mais elevados de colesterol e/ou triglicérides no sangue, como resultado da “remoção”, ou depuração desses compostos dos seus “depósitos”, é um fenômeno temporário, que pode enganar ou confundir os menos avisados que tenderiam a interromper os efeitos benéficos de uma dieta desse tipo. Como tratamento, para os casos mais difíceis, praticar a dieta de dez dias de arroz integral a cada 3 meses; no intervalo adotar uma alimentação natural / integral, composta de alimentos desintoxicantes citados. Usar sementes de linhaça – 60g. 1 a 2 vezes ao dia.

Suplementos que completam bem o uso da água imantada:

Alho – extrato seco
Betacaroteno
Bioflavonóides
Farelo de trigo
Ginkgo biloba
Lecitina de soja
Óleos de peixes, ômega 3 e ômega 6 – 2g/dia
Quitosana
Sementes (douradas) de linho
Vitamina C
Vitamina E

Colite

É o nome genérico de diversas moléstias onde há inflamação do intestino grosso com irritação crônica da mucosa. Ocorre mais freqüentemente em períodos de exacerbação, com a presença de diarréias caracterizadas pela presença de fezes líquidas ou semilíquidas, com muco, pus e sangue. Em gral a causa está ligada a fatores imunológicos, nutricionais, vasculares e, principalmente psico-afetivos obscuros, todas estas de difícil precisão. Os episódios podem ser agudos (aparecendo logo após choques emocionais, traumas, etc.) ou crônicos e constantes. A febre, quando existe, só é levada nas formas mais graves da doença. O diagnóstico é feito através de radiografias (clister opaco) ou da endoscopia, onde a mucosa do cólon se mostra reduzida, podendo haver ulcerações (colite ulcerativa) e formas bizarras de intestinos. É considerada uma doença psicossomática.
Depois dos cálculos renais, as colites são as indicações mais freqüentes das águas imantadas. Através delas é possível restabelecer o equilíbrio metabólico do organismo, melhorar as condições da flora intestinal e reequilibrar o sistema nervoso, além de se eliminar as toxinas que perturbam as funções orgânicas.

Alimentação

Evitar qualquer tipo de carne animal, ovos, leite e seus derivados, açúcar branco, café comum e todos os produtos picantes ou fermentados, bem como as frutas muito ácidas e as frituras. Manter uma dieta rica em alimentos leves, como os cereais integrais, os derivados leves da soja, tipos de colite alérgica em que o trigo (glúten) integral não deve ser consumido, mas são casos muito raros. As leguminosas devem ser usadas com moderação, assim como as verduras cruas; preferir alimentos mais cozidos durante essa fase. Os sucos de frutas de fácil digestão, os mingaus, as papas de cereais, as sopas (de misso, por exemplo), os cremes, devem ser os pratos escolhidos. Fora da fase aguda, ou no processo crônico, a dieta não deve ser muito diferente desta.

Depressão

Não é exatamente uma doença, mas um sintoma. Basicamente pode ser definido como um problema de ordem mental ou psiciafetiva/nervosa que determina uma condição de desinteresse e falta de motivação para a vida. É diferente da melancolia e da tristeza profunda, com o que é comumente confundida. Há teorias que apontam como causas da depressão o desequilíbrio, (excesso ou carência) de mediadores químicos do sistema nervoso central ou carência de micro-minerais importantes, principalmente o lítio.
A água imantada tende a produzir efeito serenizador do sistema nervoso, principalmente por sua ação antagônica ao estresse.

Alimentação

Evitar o café, comidas excitantes e as bebidas alcoólicas.

Suplementos que completam bem o uso da água imantada:

Crataegus
Hipérico
Kava-Kava
Lúpulo
Niacina

Diabetes

Distúrbio do metabolismo determinado pela redução da insulina, tendo como resultado a elevação das taxas de açúcar (glicose) no sangue. Existem basicamente dois tipos de diabetes do tipo mellitus: o insulino-dependente (também chamado de infanto-juvenil) e o comum, ou do adulto. No primeiro caso geralmente a pessoa nasce com uma quantidade menor de células produtoras de insulina e é obrigada a recebê-la fontes externas (injeções, etc.). No segundo caso a pessoa não necessita exatamente de insulina, mas de substâncias que simplesmente reduzam o açúcar do sangue. Mas os dois casos exigem uma dieta pobre em açúcar e em carboidratos em geral. Considerada uma doença hereditária, os diabetes é atualmente uma doença degenerativa muito mais comum que há alguns séculos. A sua incidência tem aumentado muito, a ponto de preocupar a Organização Mundial de Saúde. A medicina considera que se um índividuo tem pais diabéticos, ou um parente paterno mais um materno diabéticos, ele é um pré-diabético, ou seja, pode tornar-se diabético. Entende-se que a doença está intimamente ligada ao hábito do consumo do açúcar branco, que a humanidade desenvolve há menos de dois séculos. Antes disso não se utilizava quase nenhum açúcar na alimentação, o qual era antes usado apenas na fermentação de algumas cervejas, de alguns vinhos e na fabricação de certos pães adocicados para o consumo das classes mais abastadas. Hoje o consumo médio mundial per capita está em torno de 300grs.
de açúcar diariamente. O diabetes pode ser entendido como o resultado do cansaço do organismo por ter de lidar com tanto açúcar. Vários problemas orgânicos surgem com o desenvolvimento dos diabetes, como distúrbios circulatórios variados, infecções pela redução da imunidade geral. Essa doença degenerativa produz, entre outras coisas, cegueira, impotência sexual masculina, cãibras e infarto.
A água imantada atua produzindo depuração, desintoxicação e reequilíbrio do organismo, portanto, ideal para os casos de diabetes, como processo degenerativo. Não produz efeito hipoglicemiante, mas promove normalização de várias funções. A água imantada produz efeitos favoráveis nos diabetes, mas deve ser encerrada como recurso auxiliar, associado à dieta com baixos teores em carboidratos.

alimentação

Tradicionalmente a dieta ideal para o diabético é pobre em carboidratos e com tendência a ser rica em proteínas. Essa dieta, no entanto, tem sido questionada pela moderna medicina, pois a concentração de proteínas animais produz acúmulos de toxinas, incrementação do metabolismo nitrogenado e a elevação dos níveis de vários compostos, como o ácido úrico, a uréia, o colesterol, etc. que perturbam mais ainda o problema, cronificando e sustentando o desequilíbrio geral. No balanceamento da dieta habitual para o diabético, considera-se quase que somente aspectos qualitativos. Hoje considera-se mais importante adotar uma dieta basicamente qualitativa, que equilibre, desintoxique e normalize o organismo. O balanceamento dietético deve ser observado, mas os alimentos devem ser integrais, não industrializados, normoprotéicos, frescos, puros e, de preferência, orgânicos. Desse modo o organismo diabético poderá restabelecer um pouco da sua capacidade de auto-regulação, o que determinará uma modificação gradual dos níveis de diversos compostos metabólicos, incluindo a insulina, a glicose e outros. Quanto aos demais tipos de diabetes, o insulino-dependente e o tipo neurogênico (diabetes nervoso), os resultados, embora mais satisfatórios do que a simples redução quantitativa de açúcares, não são tão exuberantes.

Suplementos que completam bem o uso da água imantada:

Alho – extrato seco
Betaína
Clorela
Cromo picolinato
Farelo de trigo
Gymnema silvestre
Lactobacilos acidófilos
Lêvedo de cerveja
Magnésio
Ômega 3
Sementes (douradas) de linho
Vitamina C
Vitamina D
Vitamina E

Distonia neurovegetativa (DNV)

É o estado de desequilíbrio do sistema nervoso autônomo, que é o sistema neurovegetativo, ou involuntário, responsável pelas funções que não controladas pela vontade própria, como os batimentos cardíacos, a digestão, etc. O sistema neurovegetativo é duplo, sendo composto pelo sistema simpático e pelo parassimpático. Eles possuem ações antagônicas e complementares entre si. Quando eles estão em desequilíbrio surgem problemas de vários tipos, principalmente sensações subjetivas, algumas de difícil descrição. Os sintomas assemelham-se aos do estresse, como: ansiedade, medo, insatisfação com a vida, angústia, depressão, insônia, incerteza quanto ao futuro, tonteiras, memória deficiente e outros.
A água imantada tem se mostrado útil como auxiliar no restabelecimento do equilíbrio nervoso.

Alimentação

Evitar os produtos excitantes ou depressivos, como o café, o álcool, o açúcar branco, as carnes vermelhas, alimentos fermentados, envelhecidos e muito condimentados, molhos carregados e comidas apimentadas. A alimentação deve ser leve, de fácil digestão, fresca, colorida, composta de muitos alimentos crus (saladas, brotos de feijão e de alfafa, frutas da estação), energéticos, tônicos, vitalizantes.

Suplementos que completam bem o uso da água imantada:

Betacaroteno
Clorela
Erva-de-são-joão
Ômega 3
Passiflora
Vitamina C
Vitamina D
Vitamina E

Eczema

Doença de pele caracterizada por vermelhidão, irritação, prurido, descamação, etc. Para a medicina holística geralmente é o resultado da eliminação de toxinas pela pele; fatores psíquicos devem ser sempre considerados também. Há semelhanças entre o eczema e as diversas doenças de pele. Deve-se também sempre considerar a possibilidade de processos alérgicos como causas.
A água imantada, pela sua ação desintoxicante leve sé importante auxiliar na recuperação do organismo e na sua normalização, principalmente nas doenças que se manifestam na pele.

Alimentação

A dieta tem um importante papel nas doenças da pele, pois o que é absorvido pelos intestinos, determina a qualidade do sangue, o que por sua vez influência a condição geral da pele. Evitar as gorduras saturadas e pesadas, as frituras, os laticínios em geral, as carnes condicionadas ou industrializadas (salsichas, lingüiças, presunto, frios, etc.), o açúcar branco, os produtos que contenham aditivos alimentares (corantes, aromatizantes, conservantes, etc.), ovos de granja, as vísceras animais, as peles de animais, o sal refinado e os temperos industrializados.

Suplementos que completam bem o uso da água imantada:

Babosa
Clorela
Sementes douradas de linho – 100 g/dia.

Enxaqueca

Consiste num tipo de dor de cabeça, que se caracteriza por episódios recorrentes. Em geral o problema tem ínicio na adolescência ou no princípio da idade madura, tendendo a desaparecer na menopausa. A medicina comum desconhece a causa exata do problema, mas admite que se deva a um espasmo seguido de dilatação dos ramos cranianos da artéria carótida externa. O ataque típico é bem característico, consistindo numa dor intensa, pulsátil, que se inicia geralmente num olho e se estende depois à metade correspondente a dor de cabeça e por fim a toda esta. A dor é habitualmente procedida ou acompanhada de náuseas e perturbações visuais (clarões, riscos luminosos, estrelas brilhantes, fotofobia, etc.). Chamadas de aura da enxaqueca. Muito dos ataques são acompanhados de vômitos. Os ruídos e a luz intensa tendem a agravar a dor. A duração das crises de enxaqueca é muito variável, sendo que nos casos mais graves pode durar mais de um dia, exigindo o repouso ao leito. Nos indivíduos suscetíveis, as crises podem ser desencadeadas por várias causas, tais como abusos alimentares, esforço visual prolongado, fadiga física e/ou psíquica, esforço intelectual prolongado, menstruação, ovulação, odores e perfumes fortes, produtos químicos, poluição atmosférica, friagem e outras. A afecção é, em regra, familiar e atinge mais freqüentemente as mulheres. Mais recentemente, têm surgido teorias e evidências do vínculo da enxaqueca com distrimias cerebrais e causas epileptiformes. A enxaqueca também é um tipo de reação do organismo contra certas toxinas, certos produtos mucosos e excessos de algumas proteínas animais ainda não bem classificadas e também a certos produtos, como o café, o leite e seus derivados, o sal refinado e o açúcar branco como fatores desencadeantes em potencial.
A água imantada purifica, normaliza e restabelece o organismo, principalmente ajudando a refazer a flora intestinal e restaurar a função intestinal, produzindo bons resultados no tratamento auxiliar da enxaqueca.

Alimentação

Dentro ou fora das crises, evitar o leite e seus derivados, a carne vermelha, as carnes industrializadas em geral, incluindo aves congeladas, o café, o mate, o chá preto, oi guaraná natural em pó, o sal refinado, o açúcar branco e todos os produtos que contenham, os ovos de granja, os alimentos gordurosos, a pimenta, as frituras e as frutas muito ácidas. Manter os intestinos sempre regulados e funcionantes, por meio de uma dieta rica em fibras e alimentos naturalmente laxantes.

Suplementos que completam bem o uso da água imantada:

Angélica
Betaína
Cardo mariano
Clorela
Dente-de-leão
Farelo de trigo
Magnésio
Sementes douradas de linho
Tanaceto
Vitamina C
Zinco

Esgotamento nervoso

Ver Neurastenia.

Espinhas

Ver Acne

Estomatite

Também chamadas “aftas”. São lesões levemente dolorosas da boca, comumente reincidivantes, únicas ou múltiplas, em geral resultantes de fermentações digestivas contínuas, de uma condição mais ácida do sangue. Não está definitivamente comprovada a participação de bactérias na gênese da estomatite. O excesso de açúcar branco, a má combinação alimentar, o excesso de amido de vários tipos numa só refeição e outras causas de menor importância, afetam um organismo suscetível ou predisposto.
A água imantada pode produzir equilíbrio ácido/básico no organismo e restaurar a boa função enzimática digestiva.

Alimentação

Evitar o açúcar branco e todos os alimentos que possam contê-lo. Seguir a combinação bioquímica dos alimentos. Mastigar sempre muito bem e evitar bebida durante as refeições, principalmente fermentadas, adocicadas e/ou alcoólicas. Beber 1 copo de sumo de lima-da-pérsia ou de maça comum em jejum diariamente, 1 hora depois da dose de qualquer das águas indicadas.

Suplementos que completam bem o uso da água imantada:

Babosa
Clorela
Dente-de-leão
Pau d’arco
Sementes douradas de linho
Vitamina C

Estresse

Termo derivado do inglês stress, criado por Selye na década de 40, para caracterizar a “Síndrome de Adaptação”, na qual os estímulos agressivos do meio externo e a agitação moderna provocam reações do organismo, resultando numa sintomatologia típica diversa, tanto psíquica, quanto mental e física. Resulta das constantes situações de tensões cotidianas, com estimulação do sistema nervoso simpático. O ser humano moderno é obrigado à agitação e à luta constante pela vida, resultando na necessidade de o organismo requisitarem minerais e energia de reserva para poder acompanhar o ritmo e as exigências do meio. O ser humano é preparado biológica e energicamente para funcionar dentro de um ciclo natural harmônico, obedecendo aos estímulos naturais. Dormir cedo, praticar atividades físicas alimentar-se regularmente, trabalhar sem se desgastar, manter hábitos saudáveis de vida, laser adequado, etc. deveria fazer parte constante da vida humana. No estresse ocorrem mudanças no organismo, onde o desgaste de microminerais ou micronutrientes, a distonia neurovegetativa, o mau balanceamento energético, o excesso de radicais livres circulando pelo sangue, a redução da oxigenação dos tecidos, a acidificação geral, a intoxicação crônica, etc., produzem tipos variados de sinais e sintomas. Pode haver períodos de grande agitação, ansiedade e exuberância energética, seguida imediatamente de depressão, prostração, preguiça; essa oscilação constante, tanto de sintomas físicos quanto psíquicos, aliados a uma grande variação do humor, são comuns na situação de estresse. Nos casos leves pode haver apenas irritabilidade, insônia moderada, ansiedade e humor variável, inapetência, distúrbios da memória e outros; com a piora do problema ou em casos mais severos, estes sintomas ampliam-se, podendo instalar-se impotência ou frigidez, ejaculação precoce, desinteresse ou exaltação sexual anormal, tendência ao aumento de peso, aos inchaços, à dilatação abdominal, etc.
Em nível orgânico, são comuns as gastrites, as úlceras pépticas, a azia, a prisão de ventre, a flatulência, as dores de cabeça, a elevação ou rebaixamento acentuado da pressão arterial, a queda de cabelos, as doenças da pele, os distúrbios afetivos, a instabilidade emocional, às vezes medos infundidos e até pânico desnecessário.
A água imantada tem se mostrado útil como auxiliar no restabelecimento do equilíbrio nervoso.

Alimentação

Evitar os produtos excitantes ou depressivos, como o café, o álcool, o açúcar branco, as carnes vermelhas, alimentos fermentados, envelhecidos e muitos condimentados, molhos carregados e comidas apimentadas. A alimentação deve ser leve, de fácil digestão, frescas, coloridas, compostas de muitos alimentos crus (saladas, frutas da estação), energéticos, tônicos, vitalizantes.

Suplementos que completam bem o uso da água imantada:

Ginseng coreano ou chinês
Lêvedo de cerveja
Lúpulo
Magnésio
Niacinamida
Zinco

Gases intestinais

Quando a produção de gases é grande e quando não há emissão suficiente para o meio externo, o acúmulo de gases pode provocar distensão abdominal, dores, cólicas, mal-estar, indisposição, ansiedade e até tonteiras. Os principais fatores que provocam o aumento do volume dos gases nos intestinos são as fermentações digestivas, a carência enzimática (por excesso de alimentos cozidos), e outros, sempre na dependência das condições orgânicas ou bioquímicas do indivíduo. A mastigação insuficiente, a refeição rápida e agitada, líquidos durante as refeições, excesso de doces, o estresse, as doenças gástricas, etc., são alguns dos elementos que contribuem para uma maior quantidade de gases no ambiente intestinal.
A água imantada promove redução da fermentação digestiva responsável pela causa mais freqüente da formação de gases.

Alimentação

A mastigação insuficiente não permite a transformação do amido em glicose pela saliva, o que sobrecarrega os intestinos de material fermentativo. Evitar excessos de leguminosas (feijões em geral, incluindo lentilhas, ervilhas, guando, grão de bico, favas, tremoços, etc.), os cereais, as verduras, os laticínios, a mistura de sucos ácidos com alcalinos. O leite, particularmente, deve ser evitado, mesmo que associado a outros alimentos.
Suplementos que completam bem o uso da água imantada:

Alcaçuz
Aniz estrelado
Gengibre
Papaína

Gastrite

É a anormalidade funcional do estômago caracterizada por vários sintomas, sendo a dor, ou a queimação (azia), a má digestão os mais comuns. As gastrites podem ser crônicas ou agudas. No primeiro caso elas são mais antigas e se manifestam por fases em que os sintomas são mais exuberantes; no segundo caso ocorrem devido a causas recentes, como a ação de medicamentos na mucosa gástrica, intoxicações, má alimentação e outros. Freqüentemente a gastrite crônica está ligada a fatores nervosos, psicossomáticos, a hábitos alimentares ou como resultado de uma vida estressante e desequilibrada. A hereditariedade é também um fator importante na maior ou menor suscetibilidade a esta doença. Na gastrite pode haver excesso de produção de ácido clorídrico ou então redução; no primeiro caso o problema é acompanhado de azia, queimações, dores e espasmos, com a possibilidade do surgimento de úlceras no estômago ou no duodeno (úlcera péptica); no segundo caso, há má digestão, com a permanência de alimentos por tempo maior no estômago. Há outros tipos de gastrite, como o tipo mucoso, mas não é muito comum.
Pelo efeito de contato, a águas imantada reduz a agressão ácida de restabelecer o equilíbrio metabólico ácido-básico.

Alimentação

Evitar os tipos de alimentos que agridem a mucosa gástrica, como as frituras, o café, o chá mate, o álcool, os refrigerantes, a pimenta, o vinagre, os produtos fermentados e condicionados. Mas para a medicina integral, além disso, deve-se evita\r também os vegetais do grupo das solanáceas, principalmente a batata inglesa, o tomate, o pimentão e a berinjela, pois eles contêm solamina, um composto muito prejudicial ao organismo e à mucosa gástrica em particular. É necessário adotar uma dieta rica em cereais integrais, frutas, raízes, legumes, verduras, tubérculos e leguminosas. A mastigação deve ser prolongada, os líquidos durante as refeições evitados (ingerir apenas um pouco de chá cerca de 10 minutos após); não se deve exceder a três refeições diárias ( não beliscar) e nunca ingerir alimentos em situação de tensão, pressa, sem vontade ou pouco antes de dormir.
Suplementos que completam bem o uso da água imantada:

Alcaçuz – 500mg 3 vezes ao dia.
Babosa
Clorela
Espinheira santa
Lecitina de soja
Pau d´arco
Unha de gato

Gota

Processo inflamatório muito doloroso de certas articulações, mais comumente dos membros inferiores. É provocada pela deposição de cristais de ácido úrico que formam grumos inflamatórios. É uma doença da família do reumatismo. O processo é crônico, ocorrendo crises esporádicas com intervalos agudos variáveis e imprevisíveis. Está ligada a fatores hereditários, ambientais (alimentares) e individuais.
O uso de água imantada produz alcalinização do organismo, reduzindo o ácido úrico e outros radicais, envolvidos na gênese ou na piora dos quadros de gota. Pela ação depurativa, desintoxicante, antiinflamatória e reguladora, tende a produzir efeitos em médio e longo prazo, embora resultados imediatos (com 5 ou 7 dias de tratamento) com redução ou remissão dos sintomas agudos tenham sido observados.

Alimentação

Evitar as vísceras animais, ricas em ácido úrico (fígado, rins, moela, coração, intestinos, miolo, chouriço, etc.), lingüiças, salsichas, presunto, mortadela, frutos do mar, leguminosas (feijões), açúcar branco e os doces em geral, bebidas alcoólicas (principalmente cerveja), carne vermelha, leite e seus derivados. Os feijões também devem ser evitados ou usados em pequena quantidade. Praticar uma dieta rica em frutas, verduras, legumes e tubérculos, moderadas em temos de cereais integrais. Alimentos favoráveis como o inhame, o mamão, o gergelim, o misso, o queijo de soja, o cará, o gengibre, a cebola crua (ou o seu sumo) e o abacate, são muito recomendadas.

Suplementos que completam bem o uso da água imantada:

Bioflavonóides
Cavalinha
Garra do diabo
Ginseng siberiano
Glucosamina (sulfato)
Lactobacilos acidófilos
Ômega 3 ou Óleo de peixes
Sementes douradas de linho
Vitamina C
Vitamina E

Hepatite

É uma doença inflamatória ou infecciosa do fígado. Pode ser aguda ou crônica. No primeiro caso pode haver dor localizada no lado direito do abdome, com irradiações para as costas, omoplata direita, costelas, estômago, etc., e tonalidade amarela da conjuntiva e da pele branca (icterícia). A hepatite aguda geralmente é provocada por vírus, como da hepatite B, que é transmissível por sangue contaminado, mas existem hepatites devidas ao alcoolismo, pela deficiência alimentar e provocadas por drogas hepatotóxicas. A hepatite crônica é uma doença séria, resultante da evolução geralmente silenciosa (sem sinais ou sintomas claros) de um ou vários episódios de hepatite aguda ou pela ação constante de um grupo determinado de vírus, num organismo predisposto ou imunologicamente deficiente. A tendência da hepatite crônica é evoluir para a cirrose hepática, quando então há perda progressiva da função do fígado.
A água imantada promove desintoxicação, depuração, diurese e proteção das células, favorecendo a recuperação do fígado nas hepatites.

Alimentação

Na hepatite aguda, adotar uma dieta exclusiva de arroz integral, durante uma a duas semanas seguidas. Na hepatite crônica, realizar períodos trimestrais da dieta de dez dias de arroz integral. Em qualquer dos casos, adotar uma alimentação natural/integral, ser carnes vermelhas, açúcar branco, bebidas alcoólicas, gorduras saturadas e comidas fermentadas, como dieta de manutenção diária. Incluir sempre alimentos como o misso, o queijo de soja (tofu), a carne de glúten, o tahine, as algas marinhas, a alcachofra, o abacate e os cereais integrais, por serem benéficos ao fígado.

Suplementos que completam bem o uso da água imantada:

Angélica
Betaína
Bioflavonóides
Cardo mariano
Clorela
Dente de leão
Lactobacilos acidófilos
Ômega 3 ou Óleo de peixes
Sementes douradas de linho
Vitamina C
Vitamina E

Hipertensão arterial

Ou “pressão alta”. É a elevação dos níveis da pressão arterial, que pode ocorrer por diversos motivos e causas. Existe a pressão alta típica ou constante, e a momentânea, geralmente determinada por fatores emocionais ou tensoriais, que se reduz espontaneamente. Considera-se uma pessoa hipertensa quando os níveis da pressão arterial se elevam constantemente e tendem a se manter bem acima dos valores normais, situados entre 120 e 80 mmHg., e sem que haja uma causa emocional evidente. Há também muitos tipos de hipertensão real associado a muitas causas, como aquelas ligadas a problemas renais, À arteriosclerose, à retenção de sal e água no organismo e outras. É uma doença cardiovascular que geralmente surge sem causa conhecida, quando é denominada “hipertensão idiopática”, ou clássica. Os órgãos oficiais mundiais consideram a hipertensão arterial como umas das doenças que mais matam atualmente, estando associada a diversas causas como o estresse da vida moderna, à hereditariedade, aos hábitos alimentares excessivos, ao consumo exagerado de gorduras saturadas e açúcar, ao tabagismo, etc.
A alimentação moderna, rica em carne animal, gorduras saturadas, frituras, açúcar, café, álcool, doces, suflês, massas brancas, e outros, produz constante acidificação do sangue e elevação da sua viscosidade; um sangue rico em resíduos (ácido úrico, uréia, colesterol, triglicérides), em material ácido, em sais (sódio, cálcio, potássio, etc.), em proteínas pesadas, em medicamentos, rico em toxinas mas pobre em oxigênio, torna-se um fluido denso e carregado, favorecendo as deposições arteriais e a elevação da pressão, principalmente sistólica. Um fluido denso tem maior dificuldade de passar por um tubo e, se forçado, tende a pressionar as paredes, tanto em relação às grandes artérias quanto ao sistema capilar, de pequeníssimos vasos.
Usar água imantada regularmente, como meio auxiliar de restabelecer a pressão arterial normal.

Alimentação

A dieta deve ser leve, nutritiva e sadia, composta de alimentos frescos, puros, não condimentados. Devem ser evitadas as carnes animais vermelhas em geral, as gorduras animais, as peles e vísceras de qualquer animal, as frituras, os laticínios gordurosos, os queijos fermentados, as bebidas alcoólicas, a pimenta e o sal refinado. Usar o sal marinho (que contém bem menor concentração de sódio). Fazer o uso de frutas, verduras, saladas coloridas, cítricos, legumes frescos, algas marinhas, cereais integrais, queijo de soja, sementes, grãos, etc. O alho cru ou o seu óleo é um bom auxiliar.

Suplementos que completam bem o uso da água imantada:

Alho – extrato seco
Bioflavonóides
Clorela
Lactobacilos acidófilos
Ômega 3 ou Óleo de peixes
Sementes douradas de linho
Vitamina C
Vitamina E

Infarto cardíaco

O mesmo que para Angina pectoris.

Insônia

Pode ser de vários tipos e provocada por inúmeras causas. Há insônias leves, caracterizadas por sono leve e agitadas; há insônias intermitentes em que a pessoa dorme profundamente, mas acorda diversas vezes; há insônias severas em que o paciente não dorme quase nunca e há aquelas muito graves, em que a pessoa jamais dorme. Há casos em que a pessoa passa por períodos de insônia, restabelecendo completamente o sono fora deles. De um modo geral, a insônia é um processo de hiperexcitação nervosa.
O ingestão de água imantada combina a banhos carbo-gasosos, sauna e massagens, é eficazes contra a insônia e para reduzir é um processo de hiperexcitação do sistema nervoso.

Alimentação

Em qualquer caso, evitar o café, os chás excitantes (mate, chá preto, chá verde japonês, a erva-mate do chimarrão, o guaraná em pó, os remédios e drogas estimulantes, as anfetaminas e as fórmulas alopáticas para emagrecimento.
Outras indicações: Praticar esportes, trabalhos físicos e evitar a via sedentária.

Suplementos que completam bem o uso da água imantada:

Carategus
Lúpulo
Melatonina
Mulungú
Passiflora
Valeriana

Intestinos presos

Caracteriza-se pela retenção das fezes no intestino grosso, determinando a redução da freqüência da evacuação. Na maioria dos casos as fezes não apresentam a sua forma comum, ocorrendo em pequenas porções, muito comumente ressecadas, às vezes provocando dor e exigindo muito esforço para serem eliminadas. A prisão de ventre está diretamente relacionada com uma predisposição herdada e, fundamentalmente, com o tipo de alimentação.
Muitos fatores contribuem para o problema, como hábitos de vida não naturais, falta de tempo ou de condições para atender à necessidade de evacuar, estresse, vida sedentária, etc. A prisão de ventre produz efeitos que perturbam muito o organismo. Com a retenção das fezes há maior fermentação, formação de gases, flatulência, distensão abdominal, assimilação de uma maior quantidade de toxinas e resíduos, além de uma tendência à irritabilidade nervosa.
Usar água imantada regularmente para restabelecer a função intestinal normal.

Alimentação

Evitar a dieta pobre em fibras, rica em elementos pastosos, fermentados, adocicados, em produtos animais (carne, ovos, leite, etc.) em alimentos adstringentes (farinhas brancas) e obstipantes, favorecem grandemente a prisão de ventre. A dieta deve ser rica em fibras vegetais que estão presentes nos cereais integrais (trigo, arroz, aveia, milho, centeio, cevada e outros), nas verduras, nas frutas, em muitas raízes e tubérculos e na casca das leguminosas. As fibras aumentam o volume da massa fecal, favorecendo a sua movimentação ao longo do tubo digestivo, além de favorecerem a constante retirada de pequenos resíduos da mucosa. Entre os produtos alimentícios indicados, tanto para o tratamento como para a prevenção de prisão de ventre, estão: os produtos derivados do trigo integral, o mamão, o abacate, a banana bem madura, a polpa da tamarindo, o azeite de oliva, a alface, a ameixa seca e outros.
Ingerir uma colher de sopa de farelo de trigo (não é germe), 3 vezes ao dia, às refeições, misturada com água, suco de frutas, vitaminas, no feijão, na sopa, etc. Deixar ameixas pretas (secas) de molho num copo de água. Mastigar muito bem os alimentos e não ingerir líquidos nas refeições mais substanciais. Fazer no máximo três refeições diárias, evitando “beliscar” ou comer algo entre as refeições. Usar sementes de linhaça – 60 g. 1 a 2 vezes ao dia.
Outras indicações: Criar um “horário intestinal” ou uma rotina, preferencialmente pela manhã, bem cedo, de modo a acostumar os intestinos a funcionarem sempre à mesma hora.

Suplementos que completam bem o uso da água imantada:

Cáscara sagrada
Farelo de trigo
Sementes douradas de linho

Má digestão

Distúrbio em que a digestão não se completa, surgindo sensação de plenitude precoce às refeições, “peso” abdominal, ou flatulência, gosto persistente dos alimentos na boca, eructação alimentar errada, estresse, tensão nervosa, viagens, mudanças dietéticas, anorexia nervosa, tendências familiares, depressão e outras.
Devem-se localizar as causas e atuar sobre as mesmas, no entanto, o uso de água imantada estimulante do apetite sempre contribuem para melhorar a situação. Nos casos mais comuns, de digestão lenta ou difícil, sem causa orgânica mais séria, ao uso de água imantada produz resultados alentadores.

Alimentação

Evitar o café, o chá mate, o álcool, os refrigerantes. É necessário adotar uma dieta rica em cereais integrais, frutas, raízes, legumes, verduras, tubérculos e leguminosas. A mastigação deve ser prolongada, os líquidos durante as refeições evitadas; não se deve exceder a três refeições diárias (não beliscar) e nunca ingerir alimentos em situação de tensão, pressa, sem vontade ou pouco antes de dormir.
Utilizar ervas e temperos digestivos, como o manjericão, a hortelã, a salsa, a cebolinha, o coentro, a sálvia, a algaravia, etc. O chá de erva cidreira logo após as refeições (mesmo que se tome à água mineral indicada depois de alguns minutos) é bastante útil.

Suplementos que completam bem o uso da água imantada:

Papaína
Ml1

Menopausa

É o período da vida reprodutiva feminina quando não há mais menstruação. Comumente ocorre hoje entre os 45 e 55 anos, embora possa aparecer antes ou depois. Salvo em casos de doenças, costuma ser rara antes dos 40 anos. Com base nos relatos médicos antigos, a menopausa antes ocorria em idades mais avançadas, sendo que muitos autores consideravam anormal a suspensão definitiva das regras antes dos 65 anos. No passado, as mulheres continuavam férteis e eram capazes de gerar filhos normais até idades avançadas. Hoje, com alimentação desequilibrada, com a poluição ambiental, os remédios alopáticos, os hormônios, os anticoncepcionais, a tensão e o estresse, o organismo feminino também se degenera precocemente e a função reprodutora, bem como os distúrbios do climatério ocorrem mais cedo. Na verdade, no envelhecimento natural normal não existem propriamente os sintomas característicos da menopausa (ondas de calor, sudorese, irritabilidade, ressecamento acentuado da mucosa vaginal, pele precocemente desidratada, etc.), que só aparecem em função da vida e dos hábitos antinaturais da mulher moderna. Muitos processos de envelhecimento precoce de funções orgânicas são realmente irreversíveis, mas a adoção de uma dieta mais natural e dos demais tratamentos, combinados com hábitos gerais mais saudáveis, melhora muito o quadro clínico do climatério, reduzindo e, às vezes, fazendo desaparecer o sintoma, sem oferecer riscos.
O uso de água imantada produz ação depurativa, desintoxicante, varredora de radicais livres e reguladora das funções orgânicas, e pode ser extremamente útil como tratamento auxiliar ao alopático, homeopático, ortomolecular ou outros, inclusive a reposição hormonal. A melhora ocorre por vitalização da função produtora de hormônios do próprio organismo. Portanto, a água imantada é promotoras de restabelecimento orgânico geral.

Alimentação

Evitar os produtos e os hábitos dietéticos que desgastam e intoxicam o organismo, como as bebidas alcoólicas, o tabaco, as carnes animais em excesso, as carnes industrializadas, as gorduras saturadas, as frituras, o açúcar branco e seus derivados em geral. A carne vermelha, a carne de frango comum, as salsicharias e os ovos de granja, geralmente contêm hormônios sintéticos em quantidades variáveis, capazes de perturbar o metabolismo endócrino humano. Evitar os excessos alimentares, as refeições fora de hora e á noite antes de deitar. Utilizar alimentos frescos, sadios, vivos (saladas, frutas, raízes, cereais, etc.) preferentemente orgânicos, integrais. Os produtos derivados da soja, como o queijo de soja (tofu), o, leite de soja, a proteína texturizada da soja, o misso, etc., são indicados pelo seu teor de fitoestrógenos, as isoflavonas, que atuam como precursores hormonais femininos. Hoje esses produtos são recomendados por médicos do mundo inteiro para a prevenção da menopausa precoce e para produzir os efeitos da redução das taxas hormonais que ocorrem com a idade.
Usar sementes de linhaça – 60 g. 1 a 2 vezes ao dia.

Suplementos que completam bem o uso da água imantada:

Angélica
Bioflavonóides
Isoflavonas da soja
Lecitina de soja
Óleo de prímula
Sementes douradas de linho
Vitamina A
Vitamina C
Vitamina E
Zinco

Neurastenia

Literalmente significa “cansaço dos nervos”. É basicamente um esgotamento nervoso crônico, que pode ser provocado por fatores traumatizantes que ocorrem durante um período relativamente longo, por uma grande tensão psíquica e por inúmeras fatores, como excessos constantes (trabalho, preocupações, excessos sexuais, traumas nervosos ou psicológicos, situações tensas prolongadas, etc.), uso de drogas, alcoolismo, estresse, uso de produtos excitantes em grandes quantidades e outras causas. Os sintomas mais comuns sã: debilidade muscular, fraqueza nervosa, irritabilidade excessiva, memória fraca, preocupação constante com o próprio estado de saúde, fadiga dos olhos com perturbações da acuidade visual, problemas digestivos variados, como flatulência, prisão de ventre, distensão abdominal, má digestão, etc.: pode haver depressão, alterações constantes do humor, temores injustificáveis, melancolia, tendência ao suicídio, dores nas costas e dores de cabeça.
A água imantada têm se mostrado útil como auxiliar no restabelecimento do equilíbrio nervoso.

Alimentação

Evitar os produtos excitantes ou depressivos, como o café, o álcool, o açúcar branco, as carnes vermelhas, alimentos fermentados, envelhecidos e muito condimentos, molhos carregados e comidas apimentadas. A alimentação deve ser leve, de fácil digestão, fresca, colorida, compostas de muitos alimentos crus (saladas, frutas da estação), energéticos, tônicos, vitalizantes, cereais integrais, verduras, legumes, leguminosas, frutas cozidas, raízes tonificantes, queijo de soja, misso e outros, integral e equilibrada é o principal fator de recuperação do sistema nervoso e do organismo como um todo.

Obesidade

Estado que se caracteriza pela acumulação excessiva de gordura no tecido subcutâneo e à volta de certos órgãos internos. Não há uma fronteira definida entre normais e obesos, os quais representam o extremo superior de uma curva razoavelmente normal. Há situações em que se mesclam o acúmulo de gordura com a retenção de líquidos, seja devido a fatores endócrinos, renais, circulatórios ou hepáticos. A tendência familiar ou hereditária é muito importante. O conceito comum entre médicos, nutricionistas e leigos pode resumir-se em que os obesos são pessoas que comem excessivamente, além das necessidades energéticas normais. Atualmente, porém, se reconhece o fato de que muitos obesos podem manter-se assim seguindo uma dieta com baixo teor calórico, enquanto que muitos magros não engordam mesmo ingerindo grandes quantidades de alimentos energéticos. A ingestão excessiva de hidratos de carbono, açúcares concentrados (sacarose) e demais produtos calóricos está diretamente relacionada com o aumento de peso, na maioria dos casos.
Água imantada não tem efeito emagrecedor, não reduz as calorias ou as gorduras de uma refeição ou gorduras localizadas no corpo, mas contribui para a restauração das funções estabilizadoras, produz efeito diurético, desintoxicante, digestivo e laxante, o que contribui enormemente como auxiliar dentro de um programa de emagrecimento, associado a dieta e a atividades físicas adequadas.

Alimentação

As dietas de restrição calórica são hoje questionadas quanto à sua eficácia no tratamento da obesidade ou mesmo na simples tendência ao aumento de peso. Tem-se gradativamente abandonado a abordagem quantitativa e se caminhando para uma visão dietética mais qualitativa, com base no fato de que a obesidade não é um fenômeno isolado, mas o reflexo de uma desarmonia do conjunto orgânico. Embora o balanceamento dietético quantitativo (energético, protéico, lípidico, vitamínico e mineral) seja importante, ele não é tudo; sabe-se que a qualidade biológica e energética dos alimentos ingeridos influi diretamente na condição dos alimentos ingeridos influi diretamente na condição metabólica, nos mecanismos de compensação, nos processos biológicos intrínsecos de feedback (retroalimentação), notadamente no terreno hormonal. Desse modo, a medicina holística compreende que uma dieta equilibrada, rica em produtos naturais, frescos, leves, nutritivos, preferencialmente orgânicos e necessariamente integrais, é um caminho muito melhor e mais inteligente para a manutenção do peso corporal. Obviamente que toda dieta deve ajustar-se aos hábitos do individuo e certas orientações são fundamentais, como por exemplo: fazer no mínimo duas refeições ao dia, evitando ingerir alimentos a toda hora, pois isto favorece os acúmulos e as retenções. Obedecer a horários fixos das refeições, mas só se alimentar se houver fome real, e não compulsão em busca de sabores e prazeres fúteis e passageiros. Mastigar bem os alimentos. Fazer as refeições com serenidade e sem pressa. É mais saudável suprimir uma refeição do que ingerir apressadamente os alimentos sob tensão. Não tomar líquidos às refeições, somente um chá apropriado logo após as mesmas. Evitar ingerir alimentos muito tarde, à noite. Evitar dormir após as refeições mesmo durante o dia, optando por caminhar um pouco. Manter sempre os intestinos funcionando (veja Intestinos presos). Praticar esportes, ginástica ou trabalhos físicos com regularidade. Obedecer à combinação bioquímica adequada dos alimentos. A compulsão aos alimentos deve ser trabalhada por meio da disciplina dos hábitos. As dificuldades iniciais cedem após alguns dias ou semanas de treinamento.

Suplementos que completam bem o uso da água imantada:

Bioflavonóides
Centella asiatica
Cromo (picolinato)
Clorela
Fucus vesiculosus
Garcínia
Goma de guar
Lactobacilos acidófilos
Lecitina de soja
Ômega 3 ou Óleo de peixes
Sementes douradas de linho
Vitamina E – 1.200 UI/dia

Osteoporose

É uma alteração difusa do tecido ósseo, de um ou mais ossos, caracterizada pela diminuição da espessura de todo o tecido mineralizado, enquanto ocorre simultaneamente um aumento do tecido fibroso. Há uma atrofia óssea, com fragilidade progressiva das trabéculas ósseas esponjosas e na zona cortical. Na osteoporose há o constante risco das fraturas, seja por tração ou espontâneas. Trata-se de um problema mais comum às mulheres e é mais freqüente após a menopausa. Quanto mais a paciente envelhece, tende a piorar a rarefação óssea. Para a nova medicina, a osteoporose, um problema raríssimo na antiguidade e hoje tão comum, é mais uma doença degenerativa, resultante do afastamento do homem em relação às leis naturais. Não há uma causa isolada para o problema, que é conseqüência da somatória de múltiplos fatores que se associam. O uso de hormônios e anticoncepcionais durante longo tempo na juventude e na vida madura é um dos motivos da desmineralização óssea, se principia exatamente nele evolui lentamente. A alimentação desbalanceada, principalmente rica em açúcar branco e em doces, pela ação antinutriente e desmineralizante destes, deve ser sempre considerada como um dos elementos que contribuem para esse processo anômalo. A influência hereditária é hoje levada em conta por muitos grupos de pesquisadores.
Constata-se que dietas rigorosas ou prolongadas podem levar a doenças degenerativas típicas da terceira idade, como, por exemplo, à osteoporose, já considerada pela Organização Mundial de Saúde (OMS), a epidemia do séc. XXI. Dados mostram que no EUA, existe na população de 20 a 25 milhões de pessoas acometidas pela osteoporose. No Brasil a previsão é de que no ano de 2020 o país seja o sexto do mundo em número de mulheres na fase pós-menopausa.
Aos 45 anos, uma em cada quatro mulheres tem osteoporose. Aos 65 anos, uma em cada três mulheres e aos 75 anos, uma em cada duas mulheres. Ao chegar aos 85 anos, todas, sem exceções, apresentarão osteoporose. Nos homens, essa relação torna-se igual aos 70 anos. No Brasil, ocorrem aproximadamente 80 mil fraturas por ano. Dessas 60 mil necessitam de tratamento cirúrgico. Não se tem dados sobre o custo desse tipo de tratamento. Nos EUA se gasta anualmente 7 bilhões só com fratura de colo de fêmur. Esses valores são quase iguais ao orçamento anual do Ministério da Saúde destinado à saúde de toda a população brasileira.
O uso de água imantada produz ação depurativa, desintoxicante, varredora de radicais livres e reguladora das funções orgânicas, e podem ser extremamente úteis como tratamento auxiliar ao alopático, homeopático, ortomolecular ou outros, inclusive a reposição hormonal. A melhora ocorre por vitalização da função produtora de hormônios do próprio organismo, portanto a água imantada esta indicada como promotora do restabelecimento orgânico geral. Filtros especiais, como o Multiprocessador Magnético, citado neste manual, possui uma câmara com dolomita, que é um recurso eficaz na prevenção e no tratamento da osteoporose.

Alimentação

Evitar os produtos capazes de desestabilizar e desmineralizar o organismo, como é o caso do açúcar branco e de todos os produtos que o contêm. O leite e seus derivados, como os queijos, o iorgute, o requeijão, e os demais laticínios, embora recomendados pela medicina comum por serem boas fontes de cálcio, são contra-indicados pela medicina de vanguarda. Estes contêm um tipo de cálcio denominado “secundário”, ou seja, elaborado do cálcio primário (proveniente do reino vegetal) por um organismo animal; este cálcio não contribui para a melhora ou para a interrupção da osteoporose e, pior, se usado com freqüência, favorece a arteriosclerose cerebral e a aterosclerose. Evitar os produtos e os hábitos dietéticos que desgastam e intoxicam o organismo, como as bebidas alcoólicas, o tabaco, as carnes animais em excesso, as carnes industrializadas, as gorduras saturadas, as frituras, o açúcar branco e seus derivados em geral. Utilizar alimentos frescos, sadios, vivos (saladas, frutas, raízes, cereais, etc.) preferentemente orgânicos, integrais, coloridos e cheios de vida.
Os produtos derivados da soja, como o queijo de soja (tofu), o, leite de soja, a proteína texturizada da soja, o misso, etc.), são indicados pelo seu teor de fitoestrógenos, as isoflavonas, que atuam como percussores hormonais femininos. Hoje esses produtos são recomendados por médicos do mundo inteiro para a prevenção da menopausa precoce e para reduzir os efeitos da redução das taxas hormonais que ocorrem com a idade. Além disso, o cálcio, o fósforo e o magnésio, presentes tanto na soja como em outras leguminosas e nos vegetais folhosos, são necessários para uma boa condição mineral do organismo.

Suplementos que completam bem o uso da água imantada:

Bioflavonóides
Cálcio
Clorela
Dolomita
Lactobacilos acidófilos
Lecitina de soja
Magnésio
Ômega 3
Vitamina C
Vitamina D
Vitamina E

Pedras na vesícula

Ver Cálculos biliares.

Pedra nos rins

Ver Cálculos renais.

Pressão alta

Ver Hipertensão arterial

Prisão de ventre

Ver Intestinos presos.

Psoríasis

Moléstia crônica da pele, caracterizada por pápulas escamosas que se alargam e se agregam, formando aspectos circulares, com descamações amarelas ou prateadas, que, quando destacadas, deixam aparecer uma superfície vermelha. Pode ser de pequenas ou de grandes dimensões, as vezes limitada a uma pequena dobra (cotovelo, joelho) ou a grandes áreas corporais. Quando surge no couro cabeludo, produz descamações semelhantes À dermatite seborréica. Muitas são as teorias que procuram explicar a sua causa. Antes considerada como resultado do mau aproveitamento das gorduras e do metabolismo das vitaminas lipossolúveis, hoje, já se admite ser a psoriásis uma doença nervosa, de bases psicossomáticas, associada a fatores alimentares e imunológicos complexos.
A água imantada, pela sua ação desintoxicante leve é importante auxiliar na recuperação do organismo e na sua normalização, principalmente nas doenças que se manifestam na pele. Como a psoríasis tem a sua causa ligada a fatores nervosos, psico-afetivos e emocionais, o uso da água imantada é útil neste caso.

Alimentação

A dieta tem um importante papel nas doenças da pele, pois o que é absorvido pelos intestinos, determina a qualidade do sangue, que por sua vez influencia a condição geral da pele. Evitar as gorduras saturadas e pesadas, as frituras, os laticínios em geral, as carnes condicionadas ou industrializadas (salsichas, lingüiças, presunto, frios, etc.), o açúcar branco, os produtos que contenham aditivos açúcar branco, os produtos que contenham aditivos alimentares (corantes, aromatizantes, conservantes, etc.), os ovos de granja, as vísceras animais, as peles de animais, o sal refinado e os temperos industrializados. Acrescentar de 60 a 100 g. de sementes douradas de linho (linhaça) à dieta, diariamente, devido aos elevados teores de ômega 3 do produto. Os óleos insaturados ômega 3 são efetivos contra a psoríasis e são hoje prescritos por médicos no mundo inteiro.
Usar sementes de linhaça – 60 g. 1 a 2 vezes ao dia.

Suplementos que completam bem o uso da água imantada:

Betacaroteno
Betaína
Bioflavonóides
Clorela
Lactobacilos acidófilos
Magnésio
Ômega 3
Sementes douradas de linho
Vitamina C
Vitamina D
Vitamina E
Reumatismo

Designação geral usada para caracterizar um grupo de doenças cujas manifestações principais são a inflamação ou a degenerescência do tecido conjuntivo das articulações, dos músculos e de outros órgãos. Existem numerosas doenças pertencentes ao grupo do reumatismo, com a febre reumática, a artrite reumatóide (também considerada como uma doença auto-imune), a artrite comum, a artrose, a gota, e outras. Ainda não se tem uma classificação bem definida sobre a questão do reumatismo, sendo que os médicos atuais preferem observar isoladamente cada um dos diversos tipos de moléstias reumáticas. As doenças reumáticas podem afetar somente articulações ou simultaneamente o tecido conjuntivo de outros órgãos, o tecido nervoso, seja de forma aguda ou crônica, em ciclos ou episódios isolados. Em geral há muita dor local ou generalizada, com inflamação e incapacitação física, temporária ou progressiva. O tratamento convencional da medicina comum é apenas sintomático, sendo incapaz de atingir o processo mórbido causador da doença. Não se sabe oficialmente a causa do reumatismo de modo geral. Para a medicina holística, o reumatismo é uma doença degenerativa que ocorre numa situação de predisposição herdada (degeneração biológica da raça provocada por fatores ambientais desencadeantes, principalmente por alimentos acidificantes, tóxicos e mucogênicos. Os laticínios, o açúcar branco, as vísceras animais ricas em toxinas e ácido úrico, são basicamente reumatogênicos. Alguns tipos de reumatismo são desencadeados pelo constante contato com a friagem, sendo característicos nas profissões como a das lavadeiras, dos carregadores de gelo, etc. Hábitos irregulares como o alcoolismo, o tabagismo, o consumo excessivo de remédios (antibióticos, corticóides, etc.), contribuem bastante para o surgimento e a manutenção desse problema. Devemos considerar também a influência do leite de vaca e dos laticínios em geral na gênese das doenças reumáticas. O consumo contínuo desses produtos ao longo de muitos anos favorece a retenção e a disposição crônica de material mucóide e hialino ainda não bem conhecido em diversas partes do organismo, principalmente no interstício e nos espaços intra-articulares; por esta razão, os laticínios são considerados uma das causas do reumatismo, da artrite, das artroses e doenças similares.
O efeito benéfico da água imantada nas artroses deve-se ao fato de que ela produz alcalinização do organismo, reduzindo os radicais ácidos (ácidoúrico, ácido lático, ácido carbônico e outros), envolvidos na gênese ou na piora dos quadros artríticos. Pela ação depurativa, desintoxicante, antiinflamatória e reguladora, a água imantada tende a produzir efeitos em médio e longo prazo.

Alimentação

Evitar os produtos ricos em toxinas e proteínas animais industrializadas (salsicharia, frios, presunto, etc.), as vísceras e as peles de animais, o leite e seus derivados, o excesso de sal refinado, o álcool, o tabaco, a vida sedentária e os excessos de todos os tipos. Adotar uma dieta equilibrada, composta de cereais integrais, frutas alcalinas, verduras, raízes, tubérculos e legumes.

Suplementos que completam bem o uso da água imantada:

Alho – extrato seco
Bioflavonóides
Condroitina
Garra do diabo
Glucosamina
Lactobacilos acidófilos
Ômega 3
Sementes douradas de linho
Síndrome pré-menstrual

Desequilíbrio do sistema nervoso e endócrino, que determina um quadro clínico que ocorre alguns dias antes da menstruação e se caracteriza por edemas (mais comumente dos membros inferiores), ansiedade, depressão, irritabilidade, indisposição e às vezes insônia, náuseas, vômitos, dores lombares, dores de cabeça e outros, que desaparecem espontaneamente durante ou após as regras. A medicina comum atribui esta síndrome à retenção de água no organismo, causada por níveis mais elevados de estrogênio. Como este hormônio interfere na eliminação do sal (cloreto de sódio) pelos rins, níveis elevados podem levar os tecidos do corpo a reter água, o que provoca aumento de peso, inchaços, dores de cabeça e nas costas, além de nervosismo e irritabilidade. Provavelmente porque o líquido acumulado incha os nervos e dificulta a transmissão dos impulsos nervosos. A intensidade varia de um período menstrual a outro, e de mulher para mulher. Cãibras nas pernas e dores abdominais podem vir, por outro lado, de uma inabilidade temporária do corpo em armazenar cálcio. A moderação no sal, pelo menos nos últimos dias antes da menstruação contribui para a redução destes sintomas.
A água imantada têm se mostrado útil como auxiliar no combate à Síndrome pré-menstrual e seus efeitos. Pode fazer efeito imediato de suavização do sistema nervoso.

Alimentação

Evitar o café, comidas excitantes e as bebidas alcoólicas. Evitar o sal refinado, por sua capacidade de ceder grandes cargas de sódio. O sal marinho (e os produtos que o contêm) não fornece sódio concentrado, pois possui mais 4 elementos que apresentam sabor semelhantes ao sódio, como o magnésio. Evitar sempre o açúcar branco e tudo aquilo que o contenha, pois ele tem ação depressiva sobre o organismo. Abstenção dos produtos que podem conter hormônios sintéticos que prejudicam o sutil equilíbrio hormonal: salsicharias em geral, lingüiças, presunto, mortadelas, salames, carne vermelha fresca, carne de porco, banha de porco, frango de granja congelado, peru temperado, chester congelado, carnes enlatadas, ovos e queijos industrializados por grandes empresas. Hormônios estrogênicos (geralmente o dietiletilbestrol) sintéticos são proibidos, porém largamente aplicados no Brasil através da reação, por injeções ou em incisões no couro, visando-se à engorda mais lucrativa do animal. Quando o organismo humano absorve doses freqüentes desses compostos, mesmo que pequenas, submete-se continuamente a desajustes hormonais que desequilibram os mecanismos de feedback e de compensação, o que pode produzir resultados imprevisíveis e variados no terreno ginecológico.
Usar sementes de linhaça – 60 g. 1 a 2 vezes ao dia.

Suplementos que completam bem o uso da água imantada

Alcaçuz
Angélica
Betacaroteno
Ginseng coreano ou chinês
Magnésio
Niacina
Óleo de prímula
Ômega 3
Selênio
Vitamina B6
Vitamina C
Vitamina D
Vitamina E

Sinusite

É a inflamação da mucosa dos seios da face, que são espaços existentes nos ossos da face que em geral se comunicam com a mucosa nasal através de pequenos canais. Pode ser aguda ou crônica. Na fase aguda há dor, cefaléia, pontos dolorosos, fluxo nasal purulento geralmente unilateral. São diversas as causas desse tipo de inflamação, sendo a sua maioria de difícil tratamento. Nos últimos anos têm crescido as evidências sobre os efeitos negativos do leite e seus derivados sobre o organismo humano. Até há poucos anos considerados excelentes alimentos, estão hoje sendo postos em questão por muitos médicos e nutricionistas, principalmente nos Estados Unidos e na Europa. O leite de vaca possui vários componentes em quantidades desproporcionais para o homem, como a caseína, a lactoalbumina. Contém também alergenos diversos (produzem reações alérgicas de vários tipos), como as imunoglobulinas, por exemplo, capazes de provocar alergias em mamíferos diferentes do bezerro. O excesso de albuminas, de mucopolissacarídeos, e de outros compostos mucóides fazem do leite integral um dos produtos mais mucogênicos, capaz, portanto, de aumentar a secreção das mucosas. Muitos organismos descarregam o excesso de compostos mucóides lácteos dos “emunctórios naturais”, ou seja, das áreas forradas por mucosas, como o conduto auditivo, as paredes dos brônquios, a mucosa nasal, as paredes dos seios da face, as paredes vaginais e também através da pele e do couro cabeludo, contribuindo para o surgimento respectivamente de bronquites, rinites, sinusites, corrimentos vaginais, eczemas, descamações, caspas e seborréias.
A água imantada tem ação antiinflamatória, purificadora, normalizadora e restabelecedora do organismo, descarregando excesso de material ácido e acidificante do organismo, produzindo bons resultados no tratamento auxiliar da sinusite e de doenças similares.

Alimentação

Abolir todo e qualquer laticínio, açúcar branco (e tudo que o contenha). A dieta ideal para o tratamento e prevenção da sinusite deve ser rica em frutas cítricas não muito ácidas (lima-da-pérsia, por exemplo), frutas alcalinas em geral (mamão, melão, melancia, maçã, uvas doces, jabuticaba, manga, etc.), verduras em abundância, raízes, tubérculos (menos a batata comum) e cereais integrais com moderação. As frituras e os alimentos fermentados devem também ser evitado.

Suplementos que completam bem o uso da água imantada:

Alho – extrato seco
Bioflavonóides
Cálcio
Equinácea
Clorela
Feno-grego
Lactobacilos acidófilos
Magnésio
Unha de gato
Betacaroteno
Vitamina C c\ bioflavonóides

Tensão pré-menstrual

Ver Síndrome pré-menstrual.

Úlceras digestivas

Podem ser gástricas ou duodenais. Consistem em feridas abertas para a luz do estômago ou do duodeno resultantes de anormalidades funcionais do estômago. Caracterizam-se clinicamente por vários sintomas, sendo a dor, ou a queimação (azia), a má digestão os mais comuns. As úlceras podem ser crônicas ou agudas. No primeiro caso elas são mais antigas e se manifestam por fases em que os sintomas são mais exuberantes; no segundo caso ocorrem devido a causas recentes, como pela ação de medicamentos na mucosa gástrica, intoxicações, má alimentação e outros. Freqüentemente estão ligadas a fatores nervosos, psicossomáticos, a hábitos alimentares ou como resultado de uma vida estressante e desequilibrada . A hereditariedade é também um fator importante na maior ou menor suscetibilidade a esta doença. Como resultantes de gastrites, pode haver excesso de produção de ácido clorídrico ou redução; no primeiro caso o problema é acompanhado de azia, queimações, dores e espasmos, com a possibilidade do surgimento de úlceras no estômago ou no duodeno (úlcera péptica); no segundo caso, há má digestão, com a permanência de alimentos por um tempo maior no estômago. O risco das úlceras é a sua perfuração, que produz hemorragia digestiva, interna ou passagem de material ácido para a cavidade peritonial, sendo que qualquer um destes casos significa um problema emergencial.
Pelo efeito de contato, a água imantada reduz a agressão ácida à mucosa gástrica que acontece nas úlceras gástricas, além de restabelecer o equilíbrio metabólico ácido básico. Acompanhamento médico especializado é necessário para os casos mais complicados.

Alimentação

O tratamento principal destes casos é alimentar ou através da correção de hábitos alimentares errados. O leite, em grandes quantidades, era indicado contra a úlcera gástrica devido à sua ação alcalinizante; hoje raramente é recomendado uma vez que ela azeda e contribui para o acúmulo de radicais ácidos no sangue, além da tendência de produzir flatulência exagerada. De modo geral, assim como para a medicina comum, devem-se evitar os tipos de alimentos que agridem a mucosa gástrica, como as frituras, a pimenta, o vinagre, o café, o chá mate, o álcool, os refrigerantes, os produtos fermentados e condicionados. Para a medicina integral, além disso, devem-se evitar também os vegetais do grupo das solanáceas, principalmente a batata inglesa, o tomate, o pimentão e a berinjela, pois contêm solamina, um composto muito prejudicial ao organismo e à mucosa gástrica em particular. É necessário adotar uma dieta rica em cereais integrais, frutas, raízes, legumes, verduras, tubérculos e leguminosas. A mastigação deve ser prolongada, os líquidos durante as refeições evitados (ingerir apenas um pouco de chá cerca de 10 minutos, após); não se deve exceder a três refeições diárias (não beliscar) e nunca ingerir alimentos em situação de tensão, pressa, sem vontade ou pouco antes de dormir.

Suplementos que completam bem o uso da água imantada:

Alcaçuz
Babosa
Bioflavonóides
Clorela
Espinheira santa
Lactobacilos acidófilos
Lecitina de soja
Ômega 3
Pau d’arco
Valeriana

Outras indicações específicas da água submetida a campos magnéticos:

Amidalites
Anorexia
Astenia
Atonia gástrica com dispepsia
Cálculos renais
Dermatoses por intoxicação
Colecistite
Colírio
Colites rebeldes
Colites ulcerativas
Congestões do fígado
Convalescença de moléstias agudas
Desintoxicante
Diarréias
Disfunções hepáticas
Dispepsia
Distúrbio circulatórios cerebrais
Doenças crônicas e degenerativas em geral
Doenças de pele
Doenças nervosas e psicossomáticas
Estimulante da função renal
Faringites
Inflamações oculares
Laringites
Manchas e doenças da pele
Pielite
Pielo-nefrite
Pruridos

Pesquisa realizada pelo autor com a utilização oral de água exposta a campo magnético

De agosto a outubro de 2002, foi realizada uma experiência sob o nosso controle, com 40 pacientes de consultório, todos situados numa faixa etária entre 25 e 50 anos, ambos os sexos, com patologias e problemas comuns, variados, como rinite, cefaléia, tensão pré-menstrual, hipertensão arterial leve, estresse, obstipação intestinal, lucorréia, disfagia, pirose gástrica, excesso de peso, processos reumáticos, viroses simples, cansaço, ansiedade e depressão leve.
Os casos foram distribuídos por grupos de semelhança sintomatológica e patológica. Os pacientes foram distribuídos em dois grupos de 20 indivíduos cada. Um grupo recebeu uma jarra magnética para água com imãs e as outras jarras sem imãs, na função de “placebo”. As pessoas foram orientadas a ingerir entre um a dois litros da água do recipiente por dia. Não foram suspensos tratamentos ou ingestão de medicamentos que os recipientes estavam já fazendo uso.
Os dados individuais foram registrados em programa gerenciador de dados e todo o processo foi acompanhado por monitores treinados.
Após 30 dias, foram colhidos os dados clínicos e comprovados com os anteriores, através de gráficos do programa utilizado.
O grupo que ingeriu água imantada mostrou uma redução de sintomas e problemas de saúde de aproximadamente 65% em media geral. O grupo placebo” 8%. Explica-se este resultado neste grupo entendendo-se o efeito depurativo e diurético, desintoxicante que a água comum possui, uma vez que ingeriu-se uma quantidade 3 a 4 vezes maior de água que o comum; acrescente a influência psicológica de estar participando de uma pesquisa, o que inclusive influencia positivamente na avaliação pessoal de seus próprios dados, uma vez que tende-se a minimizar os sintomas.
Esta pesquisa foi registrada e encontra-se à disposição das autoridades sanitárias e dos interessados na sede da empresa VS Costa Sul.

Glossário de termos técnicos

Abortivo – Agente capaz de provocar a eliminação do feto do útero ou de exteriorizar tumores, abscessos, inflamações, etc.
Adstringente – Tudo o que produz ação áspera em qualquer superfície ou mucosa; geralmente um composto de ação adstringente contrai os tecidos e vasos sanguíneos e diminuindo as secreções quando em contato com os tecidos orgânicos externos.
Albumuminúria – Eliminação de albumina através da urina.
Alcalinizante – Que neutraliza os ácidos no organismo.
Amenorréico – Que produz suspensão da menstruação.
Anabolizante – Que estimula a regeneração do organismo.
Analéptico – Que estimula os centros nervosos, principalmente cardio-respiratórios.
Anasarca – Retenção generalizada de água no organismo, grande inchaço ou edema, principalmente no abdome e membros inferiores.
Anidrótico – Que retira água ou impede a sudorese.
Antiácido – Que combate a acidez gástrica.
Antiálgico – O mesmo que analgésico; que suprime a dor.
Analgésico – Agente capaz de eliminar ou reduzir a dor.
Anticoagulante – Que impede a coagulação do sangue.
Antiemético – Que suprime e evita vômitos.
Antiespasmódico – Que avalia os espasmos musculares.
Antifisético – Que é indicado no tratamento do herpes.
Antictérico – que se usa para tratar a icterícia.
Antileucorréio – Que se usa para tratar a leucorréia.
Antilítico – Quer dissolve os cálculos.
Antinevrálgico – Que se usa no tratamento da dor que surge no trajeto de um nervo.
Antioftálmico – Que se usa no tratamento das doenças inflamatórias ou infecciosas dos olhos.
Antioxidante – Agente capaz de combater os radicais livres.
Anti-séptico – Composto capaz de destruir os micróbios. Um sinônimo aproximado de desinfetante.
Antitérmico – Que reduz a temperatura corporal elevada acima do normal.
Anúria - Supressão da urina.
Aperiente – que estimula o apetite.
Artritismo – Predisposição de certos organismos a apresentar afecções articulares.
Ascite – Acúmulo de líquido na cavidade abdominal.
Atonia – Diminuição ou ausência da tensão muscular.
Balsâmico – Medicamentos ou composto de efeito aromático e reconfortante.
Béquico – Que combate à tosse.
Calcificante – Que fornece cálcio e favorece sua incorporação no organismo.
Cardíaco - O mesmo que cardiotônico.
Cardiotônico – Que fortalece o coração.
Carminativo – Que elimina os gases desenvolvidos no tubo digestivo.
Clister – O mesmo que enema.
Colagogo – Que estimula a secreção da bílis.
Colerético – Que estimula a produção da bílis.
Depurativo – Que livra o sangue das impurezas.
Diaforético – Que provoca a transpiração.
Dispepsia – Distúrbio das funções digestivas, principalmente do estômago.
Diurético – Que favorece a produção e eliminação da urina.
Drástico – Composto de efeito purgativo muito intenso.
Emenagogo – Que estimula o fluxo menstrual.
Emético – Que provoca vômitos.
Emoliente – Que amolece os tecidos inflamados, aliviando as dores.
Emplastro – Composto terapêutico que amolece ao calor, aderindo ao corpo. Utilizando para aplicações tópicas em casos de inflamações, dores, contusões e tumores.
Enema – Produto de composição variada, útil como aplicação através do reto para produzir uma descarga intestinal. O mesmo que clister.
Estomáquico – Que estimula e fortalece as funções do estômago.
Eupéptico – Que facilita a digestão.
Expectorante – Que promove a eliminação das secreções excessivas dos pulmões, brônquios e traquéia.
Febrífugo – Que combate a febre.
Gástrico – Relativo ao estômago.
Germicida – Composto capaz de destruir germes. O mesmo que anti-séptico.
Hemostático – Composto que combate às hemorragias, ou que estanca o sangue.
Hipoglicemiante – Agente capaz de diminuir a taxa de glicose no sangue.
Lactígeno – O que aumenta a produção de leite nas glândulas mamárias.
Mineralizante – Aquilo que favorece a absorção e incorporação de substâncias minerais pelo organismo.
Miotônico – O que tonifica e fortalece a musculatura.
Neurotônico – O que nutre e fortalece os nervos.
Nutriente – Sinônimo de nutritivo, de valor alimentício.
Obstipante – Que prende os intestinos.
Proteolítico – Que exerce a ação de quebrar a cadeia molecular das proteínas.
Purgativo – Composto de ação laxante enérgica.




Reconstituinte – Tudo o que favorece a recuperação da saúde de pessoas debilitadas.
Resolutivo – O que facilita a recuperação de inflamações e tumefações.
Revulsivo - Composto que pode provocar o deslocamento de uma inflamação de um ponto para outro do organismo.
Sialagogo – Composto que diaforético. Capaz de provocar o suor.
Tônico – Que revigora e fortalece o organismo.
Vitaminizante – Que fornece vitaminas e favorece sua incorporação pelo organismo.
Vulnerário – Que cicatrizam feridas.

Um comentário:

  1. evite gluten, acidos nocivos veja no google;perigo do gluten http://veganos.org.br

    ResponderExcluir